CESPO ouve propostas de prática de esportes de combate para reduzir agressividade

A Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados realizou audiência pública na quarta-feira (20) para debater a prática de esportes de combate como medida para reduzir a agressividade, com iniciativa do deputado Bosco Costa (PL-SE). A audiência contou com a presença de Pierry de Oliveira Nunes, profissional de Educação Física; Mauro José da Silva, presidente da Confederação Brasileira de Boxe; e Luiz Gonzaga Filho, presidente da Federação Metropolitana de Judô.
21/11/2019 10h50

Reynaldo Lima/Arquivo CESPO

CESPO ouve propostas de prática de esportes de combate para reduzir agressividade

Audiência trouxe exemplos de como os esportes de combate podem reduzir agressividade.

O professor Pierry Nunes apresentou a pesquisa que realizou no município de Triunfo, no Rio Grande do Sul, na qual demonstrou que as experiências vivenciadas por meio dos esportes de combate podem contribuir para tratar comportamentos como a falta de disciplina, concentração, dificuldade de relacionamentos, baixa autoestima e agressividade. “As experiências vivenciadas através do Karate-Do, contribuíram para o aumento do autocontrole, da concentração, do rendimento escolar, da disciplina, das inteligências interpessoais e intrapessoais, melhorando o convívio entre os alunos e professores e a comunidade local", concluiu o professor.

O presidente da Confederação Brasileira de Boxe, Mauro José Oliveira apresentou projetos esportivos da modalidade realizados em diversas cidades do Brasil, com o apoio da Confederação e com forte participação comunidade, sem a participação do poder público. “O boxe é a modalidade que mais exige das capacidades fundamentais desportivas de seus atletas. A defesa é um princípio básico e a atenção à defesa significa respeitar seu oponente. Isso tudo exige disciplina, respeito e igualdade e contribui na formação não só de atletas vitoriosos, mas também de verdadeiros cidadãos, ” afirmou.

O presidente da Federação Metropolitana de Judô ressaltou os avanços que o judô teve no Distrito Federal e como a modalidade passou a ser integrante das atividades dos Centros Olímpicos e Paralímpicos que atendem a população.

O deputado Bosco Costa ressaltou a importância e o ineditismo desse debate na Comissão do Esporte. "Sem dúvida, há muitas outras experiências espalhadas pelo País que se utilizam dos benefícios dos esportes de combate como medida, por exemplo, de redução da agressividade e de formação de cidadãos. E é nosso papel discutir o que pode ser feito para valorizar e ampliar tais práticas", concluiu o parlamentar.

 

Ações do documento