Conselho de Altos Estudos debate energias renováveis com portugueses

06/12/2016 12h05

O Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica da Câmara dos Deputados recebeu, na quarta-feira (07/03/12), comitiva portuguesa integrada por especialistas propostos a disseminar os resultados do processo de desenvolvimento sustentável – com foco nas energias alternativas e partilha do conhecimento – alcançado na cidade de Moura, região do Alentejo, sudeste de Portugal.

2ª reunião

A comitiva se apresentou a convite do deputado Pedro Uczai (PT-SC), proponente e relator de estudo sobre energias renováveis em âmbito do Conselho de Altos Estudos, publicação que deverá ser lançada na ‘Rio + 20’, em junho próximo.

Foram realizadas três apresentações de 15 minutos, focadas em desenvolvimento sustentável, emprego de tecnologias ambientalmente corretas e gestão do desenvolvimento. Os convidados relataram a experiência do município Moura, mais particularmente, a experiência de uma empresa criada pelo próprio município, de estrutura tecnológica e científica únicas em Portugal, cujo trabalho é voltado para a investigação e o domínio da energia solar fotovoltaica”.

Pedro Uczai

Pedro Uczai afirmou que a comitiva portuguesa está em vias de formalizar processo de geminação com o Município de Tauá (Ceará), e de reforçar a cooperação entre Moura e Chapecó (Santa Catarina), envolvendo a própria empresa municipal, empresários, universidades e a Fundação Científica e Tecnológica em Energias Renováveis de Chapecó. “Contribuições como essas enriquecem o nosso trabalho. Estou seguro de que nos permitirão aprofundar ainda mais o estudo que vimos conduzindo em âmbito do Conselho e que deverão deixar decisiva contribuição para novas investigações em energias alternativas, sem perder o objetivo maior que é a conquista de um patamar energético à altura das necessidades futuras do nosso País”, arrematou.

Pres. Inocêncio Oliviera

O presidente do colegiado, Deputado Inocêncio Oliveira, disse acreditar que “o estudo sobre energias renováveis ora conduzido pelo Conselho, mais uma vez deverá se tornar referência não só para o mundo acadêmico, mas também como subsidiário de estratégicas decisões do Poder Executivo, assim como o foram outros temas propostos pelo colegiado”, finalizou.


Apresentações ::: Áudio ::: Notas Taquigráficas


Palestrantes:

José Maria Prazeres Pós-de-Mina

Presidente da Câmara Municipal de Moura desde Janeiro de 1998

Coordenador do projecto Sunflower, financiado pelo Programa Energia Inteligente da Europa

Antónia de Jesus Vilar Baião

Coordenadora da COMOIPREL – Cooperativa Mourense de Interesse Público de Responsabilidade Limitada

Nuno Sidónio Andrade Pereira

Técnico-Chefe da Lógica E. M. Sociedade Gestora do Parque Tecnológico de Moura.

Vítor Paulo Soares Silva

Administrador-Delegado da Lógica E. M. Sociedade Gestora do Parque Tecnológico de Moura


Tema: Apresentar a experiência da utilização de energia fotovoltaica do Município de Moura – Portugal

 

Os objetivos da comitiva portuguesa em visita ao Brasil são:

 

1)      Formalizar o processo de geminação com o Município de Tauá (Ceará), com especial interesse nas energias renováveis, agro-negócios e partilha de conhecimento;

2)      Reforçar a cooperação entre Moura e Chapecó (Santa Catarina), dando continuidade a contactos anteriores entre a Câmara Municipal de Moura e a empresa Lógica, do lado português, e empresários, universidades e a Fundação Científica e Tecnológica em Energias Renováveis de Chapecó, do lado brasileiro.

3)      Em Brasília, reforçar os contactos e a disseminação dos resultados do processo de desenvolvimento sustentável em Moura, com foco nas energias alternativas e partilha de conhecimento.

 

A Lógica é uma empresa criada pelo Município de Moura que certifica, laboratorialmente, painéis solares fotovoltaicos e que faz investigação e desenvolvimento no setor das energias alternativas. 

O laboratório fotovoltaico da empresa municipal Lógica é uma infra-estrutura tecnológica e científica única em Portugal, equipada ao nível do que melhor existe, atualmente, para a promoção da investigação e desenvolvimento no domínio da energia solar fotovoltaica.

Aguarda auditoria para fins de acreditação para a verificação do cumprimento das normas técnicas internacionais a que estão sujeitos os módulos fotovoltaicos e prepara-se para solicitar outras acreditações, para outras normas internacionais, associadas à indústria fotovoltaica. A acreditação em curso, depois de vencidas as etapas anteriores de instalação de todo o sistema de qualidade a que este tipo de laboratórios está obrigado, abre portas a uma intervenção do laboratório que ultrapassa as fronteiras da sua escala nacional e pode abrir portas a relações comerciais com fábricas e outras unidades industriais fotovoltaicas de qualquer ponto do Mundo.

Para além do trabalho desenvolvido em conjunto com a indústria fotovoltaica nacional, estão em curso projectos e investigação nos domínios do armazenamento de energia a partir da tecnologia de hidrogénio, das técnicas avançadas de observação por electroluminescência, das novas aplicações e dos novos materiais fotovoltaicos, dos motores de combustão externa, do desenvolvimento de novos colectores para o solar térmico de alta concentração, das unidades autónomas de energia, da radioastronomia, entre outros.

Ações do documento