Audiência pública discute Projeto de Lei que valoriza salário mínimo

Desde janeiro, o salário mínimo é R$ 998, o que corresponde a R$ 4,54 por hora.
16/08/2019 17h45

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

Audiência pública discute Projeto de Lei que valoriza salário mínimo

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP) realizou às 14h da terça-feira (13) audiência pública para debater o Projeto de Lei Nº 370/19, de autoria dos deputados Bohn Gass (PT-RS) e Gleisi Hoffmann (PT-PR), que dispõe sobre a política de valorização do salário mínimo.

Contexto

Desde janeiro de 2019, o salário mínimo brasileiro corresponde a R$ 998. Segundo o Decreto nº 9.661/19, o valor mínimo de um dia de trabalho é R$ 33,27 e de uma hora, R$ 4,54. Segundo o IBGE, o número de empregados no setor privado com carteira assinada era de 33,2 milhões no primeiro trimestre deste ano. O número de trabalhadores por conta própria era de 24 milhões. Os empregados no setor público foram estimados em 11,7 milhões. Trabalhadores domésticos chegaram a 6,3 milhões. O número de pessoas desalentadas, que desistiram de procurar emprego, era de 4,9 milhões. Empregadores somavam 4,4 milhões.

Debate

Segundo o professor do Instituto de Economia da Universidade de Campinas, Marco Antônio Martins da Rocha, o salário mínimo tem um efeito que vai além do dinamismo do mercado interno do Brasil. Ele funciona como redutor da pobreza e promotor da igualdade econômica interregional, intergênero, intergeracional etc. “O salário mínimo também sinaliza o mínimo aceito na estrutura informal de trabalho”, afirma Rocha, “ele tende a elevar o padrão dessa estrutura no Brasil. O aumento do salário mínimo tem um alcance, em relação à redução da desigualdade, muito mais amplo no Brasil do que em outros países”.

Já Clemente Ganz Lúcio, representante do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), defende o equilíbrio entre o crescimento do salário com a dinâmica da produtividade. “Nós precisamos ter uma política de valorização do salário mínimo levemente superior à dinâmica de produtividade média da economia”, disse Ganz.

O PL já recebeu Parecer pela aprovação da Erika Kokay (PT-DF) na CTASP e aguarda votação do colegiado.

 

Por Ascom/CTASP, com Átila Lima.

Ações do documento