Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

28/02/2014 - 11h06

Câmara analisa projeto que cria auxílio de até R$ 300 para mãe solteira carente

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 6475/13, do deputado Marcelo Aguiar (DEM-SP), que garante auxílio de até R$ 300 à mãe solteira que não tiver condições de se sustentar. Esse auxílio, que será custeado com recursos do Orçamento Geral da União, poderá variar de acordo com o valor da renda constante da declaração de hipossuficiência da mãe solteira.

Diógenis Santos
Marcelo Aguiar
“A proposta busca auxiliar as mães solteiras em situação de miséria”, explica Aguiar.

“A ajuda financeira é um recurso de apoio significativo para muitas mães solteiras que são incapazes de prover o sustento de um filho sem a figura do pai e, por isso, necessitam desse auxílio governamental”, argumenta o deputado.

A proposta não prevê a periodicidade do benefício nem por quanto tempo ele será pago.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Natalia Doederlein
Edição – Marcos Rossi

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

André Miranda | 12/06/2017 - 18h42
Só pode ser pegadinha. Já não basta vários benefícios insustentáveis e vocês querem criar mais um peso pro trabalhador? Por que em vez de dar esmola pra mãe solteira, não incentivam empresas a gerar mais empregos e dá incentivo fiscal à elas e ampliam a rede de creches para que as mães possam trabalhar? O que vocês propõem é mais uma forma de voto de cabresto.
Paulo | 12/06/2017 - 15h03
Isso é um ABSURDO! Senhor deputado quem paga por isso é o povo! Não vemos uma medida sequer para resolver a situação catastrófica que estamos, somente medidas populistas pensando em si mesmo.
Rafaela | 23/10/2014 - 12h57
Senhores Deputados , o que vejo aqui são muitas críticas de pessoas que definitivamente não necessitam desse auxílio. Sou mãe solteira e adolescente , tenho 18 anos , e infelizmente não estou nesse 'estado civil' por opção. Como eu , acredito que há muitas jovens decentes que gostariam de dar uma vida digna aos seus filhos. Sou mãe de uma menina de 4 meses , e por incrível que pareça , não arrumo um emprego , e não tenho com quem deixar minha filha para eu terminar meus estudos. É oque eu mais queria. O pai dela me abandonou ao vê-la nascer,resumindo , eu estava com ele e contava que ele fosse