Bolsonaro assume presidência da CREDN e destaca relações com parceiros tradicionais

Brasília – O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) assumiu nesta quinta-feira, 14, a presidência da CREDN e destacou a importância das relações do Brasil com parceiros tradicionais, como os Estados Unidos. Segundo ele, “assumir a presidência da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional no momento em que o país experimenta mudanças internas significativas, reforça o nosso compromisso com os mais elevados interesses do Brasil”, afirmou.
14/03/2019 18h21

Will Shutter

Bolsonaro assume presidência da CREDN e destaca relações com parceiros tradicionais

Policial federal de carreira, Bolsonaro está em seu segundo mandato e assinalou que os desafios à frente da CREDN serão confrontados “com o espírito público, com respeito às divergências e na promoção do debate democrático”. Ele elegeu a crise humanitária da Venezuela como um dos temas prioritários de sua gestão. 

“Trata-se de uma crise que há muito deixou de ser um tema de política interna daquele país e o Brasil jamais irá desrespeitar o princípio da não ingerência. No entanto, esta crise atravessou fronteiras. Entre três e quatro milhões de venezuelanos já abandonaram o país por falta de comida e remédios, só para citar dois itens. Nós podemos, por meio de debates e ações, contribuir com a minimização dos problemas”, explicou. 

Mais cedo, ele se reuniu com a Embaixadora Encarregada da Venezuela no Brasil, Maria Teresa Belandria, com quem discutiu aspectos relacionados ao apoio regional ao presidente reconhecido pelo Brasil, Juan Guaidó. 

Fronteiras 

Eduardo Bolsonaro lembrou ainda a prioridades que será dada às fronteiras. O deputado pretende, inclusive, realizar uma série de audiências públicas nas regiões mais problemáticas, onde o crime organizado se constitui em ameaça à Segurança Nacional. “São 17 mil km com dez país. São nove tríplices fronteiras. Onde deveria haver mais cooperação e desenvolvimento, há criminalidade organizada transnacional”, destacou. 

O deputado, que irá acumular ainda a presidência da Comissão de Controle das Atividades de Inteligência (CCAI), acredita que é preciso fortalecer o tripé Relações Exteriores, Defesa e Inteligência, como políticas de Estado, convergentes, integradas e coordenadas. “As três guardam relação direta com o desenvolvimento nacional, elemento fundamental para a sustentabilidade da nossa soberania”, disse. 

“Vamos debater e votar os acordos que projetam internacionalmente o Brasil, promovem o comércio, sedimentam a cultura, e constroem a imagem do país que queremos: forte e estável”, concluiu.

 

 

 

Jornalista responsável: Marcelo Rech

E-mail: marcelo.rech@camara.leg.br

Telefone: 61 3216 6737

www2.camara.leg.br/credn

https://www.facebook.com/crednoficial

https://twitter.com/credena

Ações do documento