CMADS realizará audiência pública sobre o Bioma Caatinga e sua importância na vida do povo nordestino e no equilíbrio ambiental.

O evento será realizado no dia 24 de outubro (terça-feira), às 14 horas, no Plenário 08 da Câmara dos Deputados (Anexo II), e contará com transmissão ao vivo pelo portal e-Democracia. Participe!!! https://edemocracia.camara.leg.br/audiencias/sala/498
19/10/2017 10h35

Arquivo MMA / Eraldo Peres

CMADS realizará audiência pública sobre o Bioma Caatinga e sua importância na vida do povo nordestino e no equilíbrio ambiental.

Região do Boqueirão da Onça, localizada no "coração" da Caatinga, no estado da Bahia.

Por requerimento do Deputado João Daniel (PT/SE) a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados vai realizar audiência pública sobre o tema “O BIOMA CAATINGA E SUA IMPORTÂNCIA NA VIDA DO POVO NORDESTINO E NO EQUILÍBRIO AMBIENTAL”.

Em seu requerimento, o Deputado João Daniel explica que infelizmente a maior parte da população brasileira não tem informações suficientes sobre a importância e a riqueza do Bioma Caatinga. Desse modo, existe uma dificuldade para sua valorização e para a manutenção de seu equilíbrio ambiental. Para o Deputado, a realização da audiência pública é fundamental para levar à sociedade a importância da preservação do Bioma.

O evento será realizado no dia 24 de outubro (terça-feira), às 14 horas, no Plenário 08 da Câmara dos Deputados (Anexo II), e contará com transmissão ao vivo pelo portal e-Democracia. Participe!!!

https://edemocracia.camara.leg.br/audiencias/sala/498

 

 

Confira abaixo a programação completa:

 

AUDIÊNCIA PÚBLICA - O BIOMA CAATINGA E SUA IMPORTÂNCIA NA VIDA DO POVO NORDESTINO E NO EQUILÍBRIO AMBIENTAL

 -- Requerimento nº 178/2017 - do Deputado João Daniel (PT/SE)

 

EXPOSITORES:

 

-- ELÍSIO MARINHO SANTOS NETO, Superintende de Biodiversidade e Florestas da Semarh/SE - Secretária de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Sergipe (*)

-- LUCIANA RODRIGUES DE MORAIS E SILVA, Coordenadora do Programa de Meio Ambiente da Universidade Tiradentes (*)

-- RILDO JOAQUIM CARVALHO DA SILVA, Secretário Municipal da Agricultura, Água e Meio Ambiente

-- BRUNA VIEIRA, Representante do PNUD - Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento

-- ROBERTO ARAÚJO, Representante da Via Campesina (**)

-- FABIO ANDREY PIMENTEL SÃO MATEUS, Assistente Técnico de Extensão Rural e Projetos de desenvolvimento sustentável da Cfac - Centro Comunitário de Formação em Agropecuária Dom José Brandão de Castro (*)

-- GISMÁRIO FERREIRA NOBRE, Diretor Técnico da Emdagro - Empresa de Desenvolvimento Agropecuária de Sergipe (*)

 

( ) a confirmar

(*) confirmado

(**) não virá

 

 

Saiba mais sobre o Bioma Caatinga (dados: Site do Ministério do Meio Ambiente): 

A caatinga ocupa uma área de cerca de 844.453 quilômetros quadrados, o equivalente a 11% do território nacional. Engloba os estados Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Sergipe e o norte de Minas Gerais. Rico em biodiversidade, o bioma abriga 178 espécies de mamíferos, 591 de aves, 177 de répteis, 79 espécies de anfíbios, 241 de peixes e 221 abelhas. Cerca de 27 milhões de pessoas vivem na região, a maioria carente e dependente dos recursos do bioma para sobreviver.

A caatinga tem um imenso potencial para a conservação de serviços ambientais, uso sustentável e bioprospecção que, se bem explorado, será decisivo para o desenvolvimento da região e do país. A biodiversidade da caatinga ampara diversas atividades econômicas voltadas para fins agrosilvopastoris e industriais, especialmente nos ramos farmacêutico, de cosméticos, químico e de alimentos. 

Apesar da sua importância, o bioma tem sido desmatado de forma acelerada, principalmente nos últimos anos, devido principalmente ao consumo de lenha nativa, explorada de forma ilegal e insustentável, para fins domésticos e indústrias, ao sobrepastoreio e a conversão para pastagens e agricultura.

Ações do documento