Brinquedotecas em áreas pediátricas nos hospitais

Brinquedotecas foi o assunto debatido em Audiência Pública da Comissão de Educação
04/09/2015 11h30

  No dia 03 de Setembro, realizou-se a audiência pública para debater a Lei nº 11.104/2005, que torna obrigatória a instalação de brinquedotecas nas unidades de saúde que ofereçam atendimento de internação pediátrica. 

  É necessário que o profissional saiba lidar com as diferenças de idade e que não deixe que o brinquedo se torne apenas um material de trabalho, é preciso atenção, pois ali elas já estão em uma condição complicada.

  O tempo de internação não pode ser visto como uma interrupção de vida e sim como uma parte dela e a brinquedoteca auxiliada pelo profissional pode transformar essa realidade, é preciso trabalhar com um conceito de qualidade de vida.

 Dos quase mil hospitais pediátricos existentes no Brasil, apenas 31 possuem brinquedotecas registradas. É necessário uma maior valorização e aperfeiçoamento especializado dos profissionais para que a função da brinquedoteca seja plena. Os profissionais não são apenas brincantes, a função deles é facilitar a adesão do tratamento das crianças com mais calma, poupando a equipe médica e trazendo harmonia entre familiares e médicos.

 Pesquisas comprovam que crianças de 0 a 2 anos internadas acham que foram abandonadas e crianças maiores que 2 anos acham que estão lá por castigo por terem cometido algo de errado, já os adolescentes acham que vão morrer. A criança hospitalizada que tem o auxílio da brinquedoteca tem o índice de recuperação aumentado em 20%. O que geraria uma melhora rápida do paciente e uma maior rotatividade na área pediátrica do hospital, atendendo um maior número crianças.

 

Apresentações

Eliana Tarzia

Maria Célia Malta Campos

Maria de Lourdes Magalhães

Sirlândia Reis de Oliveira Texeira

 

 

Ações do documento