Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

17/03/2017 23h00

Deputados do PT e do PMDB divergem sobre a reforma trabalhista

Celso Maldaner (PMDB-SC) e Helder Salomão (PT-ES) são os participantes desta edição

Incorporar:
A visualização e/ou o uso deste material está condicionada pelos Termos de Uso do Câmara Notícias.

A proposta de reforma trabalhista que tramita na Câmara dos Deputados pode mudar a forma como são determinados direitos e deveres de patrões e empregados. O ponto central da mudança é a previsão de que os acordos firmados em contratos coletivos em relação a 13 pontos valem acima da lei. Hoje, os acordos coletivos feitos entre sindicatos e patrões têm de ser referendados pela Justiça trabalhista.

Entre os pontos que podem ser negociados estão jornada de trabalho de 220 horas mensais, que aumentam o limite atual de 164 horas, parcelamento das férias e forma de registro da jornada.?Estão fora as regras sobre saúde, FGTS, seguro-desemprego e Previdência. Para o governo, que enviou a proposta ao Congresso, a reforma poderá facilitar o aumento de empregos.

Os deputados Celso Maldaner, do PMDB de Santa Catarina, e Helder Salomão, do PT do Espírito Santo, falam sobre o assunto. Siga-nos no YouTube e em outras redes sociais:

www.facebook.com/camaradeputados

www.twitter.com/camaradeputados

Apresentação - Vania Alves