Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

07/05/2015 - 16h12

Ministro é contra redução da maioridade e favorável ao desarmamento

Na comissão geral desta quinta-feira, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, também reafirmou alguns posicionamentos do governo em relação a temas que causam polêmica no Congresso Nacional. Pessoalmente, Cardozo disse ter “historicamente” uma posição contrária à redução da maioridade penal no Brasil, tema que está sendo analisado na Câmara dos Deputados.

A medida, a seu ver, é inconstitucional porque todos os direitos e garantias colocados na Constituição estão petrificados, e o artigo 228 da Carta estabelece a inimputabilidade penal para os menores de 18 anos. “Também sou contra no mérito. Não há estudo no mundo que diga que a violência diminui quando se faz isso. Os estudos mostram o inverso: quando se faz isso, a violência sobe”, afirmou.

O ministro fez sua observação em resposta à pergunta do deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), que questionou a posição de Cardozo.

Desarmamento
José Eduardo Cardozo se mostrou favorável, por outro lado, ao desarmamento da população, com o argumento de que “a proliferação de armas aumenta a violência”. Ele criticou também a “cultura do aprisionamento” e o endurecimento de penas para crimes, sem que se trabalhe a reinserção social do preso.

Na avaliação do deputado Paulo Teixeira (PT-SP), a Câmara caminha na contramão do problema ao ter aprovado, recentemente, uma série de propostas que aumentam a prisão para diversos crimes. “Nós deveríamos diferenciar aqueles que deveriam estar nos presídios daqueles que deveriam estar fora”, observou Teixeira.

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Newton Araújo

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Francisco de Sousa | 11/05/2015 - 16h43
O Estado brasileiro não reeduca jovens infratores, não previne a criminalidade, não cria condições para carceragens, não ressocializa, não cria estrutura para profissionalizar esses jovens, desarma a população para ser assaltada e morta por jovens e adultos. Sou a favor do armamento da população e prisão para criminosos jovens e adultos.
karlos santos | 09/05/2015 - 19h44
Não esperava outra coisa. As esquerdas tentam desarmar o cidadão de bem em todo o mundo (China, antiga URSS, Cuba, Coréia do Norte, etc). Para implantar o estado totalitário é preciso desarmar os cidadãos de bem. Além disto é preciso que os jovens continuem assaltando e matando, é o aguçamento das contradições, antiga estratégia das esquerdas.
Carlos Pereira da Costa | 08/05/2015 - 17h04
Não esperávamos outra reação deste ministro. Faz parte da facção do PT. Está defendendo os seus. Ele e o PT, são os únicos responsáveis pelo aumento da criminalidade no Brasil. Protege menor bandido, corrupto, trabalhou para diminuir as penas de crimes cometidos, reduzindo o período de anos de condenação. Agora quer que o Estatuto do desarmamento não seja alterado. O bandido pode andar armado livre e faceiro. O cidadão de bem, NÃO. Entenderam? Protegendo os seus. Pede para sair Ministro. Pede.