Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

31/08/2015 - 10h47

Empresário acusado de corrupção também fica em silêncio na CPI da Petrobras

Segundo depoente do dia na sessão da CPI da Petrobras em Curitiba (PR), o empresário João Antonio Bernardi Filho também invocou o direito de não responder as perguntas dos deputados e disse que vai ficar em silêncio.

Bernardi foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro, junto com o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, a advogada Christina Maria da Silva Jorge e os empresários Antônio Carlos Briganti Bernardi e Júlio Gerin de Almeida Camargo.

Diante da negativa de Bernardi em responder as perguntas, o relator da CPI, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), ofereceu a oportunidade de ele ser ouvido em sessão secreta. O empresário negou, e Luiz Sérgio disse que não faria mais perguntas.

Segundo a denúncia, Bernardi, representante da empresa italiana Saipem, controlava a offshore Hayley, com sede no Uruguai e conta bancária na Suíça, usada para a lavagem de dinheiro e o pagamento de propina para Duque.

O MPF afirma que Bernardi ofereceu R$ 100 mil a Duque para que a Saipem vencesse a licitação da Petrobras para a instalação do gasoduto submarino de interligação dos campos de Lula e Cernambi, localizados na Bacia de Santos.

Continue acompanhando esta cobertura