Legislação Informatizada - MEDIDA PROVISÓRIA Nº 54, DE 11 DE MAIO DE 1989 - Publicação Original

Veja também:

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 54, DE 11 DE MAIO DE 1989

Expede normas de ajustamento do Programa de Estabilização Econômica, de que trata a Lei n° 7.730, de 31 de janeiro de 1989.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei:

     Art. 1º Nos contratos em execução cujo objeto seja a produção ou o fornecimento de bens para entrega futura, a prestação de serviços contínuos ou futuros e a realização de obras (Lei n° 7.730, de 31 de janeiro de 1989, art. 11), o índice de reajustamento com base na Obrigação do Tesouro Nacional - OTN será substituído por índices nacionais, regionais ou setoriais de custos ou preços que reflitam a variação do custo de produção ou do preço dos insumos utilizados.

      § 1º No caso de contratos que prevejam índice alternativo de reajustamento, prevalecerá este.

      § 2º O Índice de Preços ao Consumidor - IPC só poderá ser utilizado como índice substitutivo na hipótese prevista no parágrafo anterior.

     Art. 2º O reajustamento de que trata o artigo anterior será calculado, sem retroação, sobre o valor da prestação relativa a obras, fornecimentos ou serviços, realizados após encerrado o período de congelamento ou nos termos da autorização ministerial para revisão de preços (Medida Provisória n° 51, de 27 de abril de 1989, art. 1°):

      I - até janeiro de 1989, pelo valor da OTN de NCz$ 6,17;
      II - a partir de fevereiro de 1989, pela variação do índice substituto (art. 1°), verificada desde janeiro de 1989 até o mês anterior ao do cumprimento da obrigação contratual respectiva.

     Art. 3º Nos contratos de que trata o art. 1° desta Medida Provisória, que contiverem cláusula de correção monetária, com base na OTN ou OTN fiscal para os pagamentos em atraso, os valores destes serão atualizados de acordo com os Anexos I e II.

      Parágrafo único. O disposto neste artigo aplica-se apenas aos pagamentos que forem efetuados após a data da publicação desta Medida Provisória.

     Art. 4º Somente os contratos com prazo superior a noventa dias poderão conter cláusula de reajustamento de preços (Lei n° 7.738, de 9 de março de 1989, art. 3°).

      Parágrafo único. Será ainda admitida a cláusula de reajuste de preço, quando o tempo decorrido entre a data da apresentação da proposta e o início da execução do contrato, somado ao prazo contratual, for superior a noventa dias.

     Art. 5º A correção monetária nos contratos celebrados com instituições financeiras reger-se-á pelas normas expedidas pelo Banco Central do Brasil, não se aplicando a condição temporal prevista no art. 6° da Medida Provisória n° 48, de 19 de abril de 1989.

     Art. 6º O valor do pedágio de que trata a Lei n° 7.712, de 22 de dezembro de 1988, fica expresso em número de Bônus do Tesouro Nacional - BTN, convertido pelo valor deste título em 1° de fevereiro de 1989.

      § 1º O valor do selo de cobrança será atualizado mensalmente a partir de 1° de junho de 1989.

      § 2º A Secretaria da Receita Federal e o Departamento Nacional de Estradas de Rodagem baixarão instrução conjunta disciplinando a execução deste artigo.

     Art. 7º Esta Medida Provisória entra em vigor na data de sua publicação.

     Art. 8º Revogam-se o art. 15 da Lei n° 7.713, de 22 de dezembro de 1988, o 4° da Lei n° 7.738, de 9 de março de 1989, e demais disposições em contrário.

Brasília, 11 de maio de 1989; 168° da Independência e 101° da República.

JOSÉ SARNEY
Mailson Ferreira da Nóbrega
João Batista de Abreu


Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial da União - Seção 1 de 12/05/1989


Publicação:
  • Diário Oficial da União - Seção 1 - 12/5/1989, Página 7730 (Publicação Original)
  • Coleção de Leis do Brasil - 1989, Página 895 Vol. 3 (Publicação Original)