16/10/19 - Câmara homenageia cinco mulheres com Diploma Mulher-Cidadã

Eleita pela Fifa melhor jogadora de futebol do mundo por seis vezes, a craque Marta é uma das premiadas

A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados realiza nesta quinta-feira (17/10) a cerimônia de entrega do Diploma Mulher-Cidadã Carlota Pereira de Queirós de 2019. O evento ocorrerá no Plenário Ulysses Guimarães, a partir das 9 horas. Criado em 2003, o prêmio homenageia mulheres que contribuíram para o pleno exercício da cidadania feminina, na defesa dos direitos da mulher e das questões de gênero no Brasil. Desde a criação do prêmio, a Câmara já concedeu o diploma a 40 mulheres.

Neste ano serão agraciadas:

  • Marta Vieira da Silva, eleita seis vezes a melhor jogadora de futebol do mundo pela Fifa, contemplada por sua luta contínua para melhorar o tratamento e as condições das atletas do futebol feminino em relação a salários, oportunidades e divulgação.
  • Catarina Cecin Gazele, procuradora de Justiça no Espírito Santo, que atua para coibir a violência contra a mulher.
  • Cristina Castro Lucas, professora da Universidade de Brasília (UnB), idealizadora do Projeto Glória, plataforma de inteligência artificial voltada para diminuir todas as formas de violência contra mulheres.
  • Dulcineia de Oliveira, presidente da Associação Habitacional Nova Terra (MG), movimento que busca construir unidades habitacionais e oferecer às famílias o direito de financiamento.
  • Solange Bentes Jurema, procuradora de Justiça em Alagoas, que atua há mais de três décadas na defesa dos direitos das mulheres, e esteve à frente das
    articulações no Tribunal Superior Eleitoral para destinação dos 30% dos recursos do Fundo Eleitoral para as mulheres.

Primeira deputada federal

Carlota Pereira de Queirós (1892-1982) nasceu na cidade de São Paulo. Médica, escritora, pedagoga e política, foi a primeira mulher brasileira a votar e a ser eleita deputada federal. Entre 1934 e 1935, participou dos trabalhos na Assembleia Nacional Constituinte. Seu mandato, em defesa da mulher e das crianças, foi dedicado a ações educacionais que contemplassem melhor o tratamento dado às mulheres.

 

Ações do documento