26/10/2018 09h54

Cresce número de denúncias de candidatas insatisfeitas com os partidos durante o primeiro turno das eleições

Em São Paulo, dos 34 partidos apenas nove destinaram ao menos 30% de verbas às candidatas a deputada federal no estado. Ouça a entrevista da promotora Vera Lúcia Taberti, da Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo

Em São Paulo, de 34 partidos apenas nove (PCB, PTB, PMN, PTC, Psol, NOVO, PSTU, PSL e PCO) destinaram 30% das verbas dos fundos partidário e eleitoral às candidatas que concorreram ao cargo de deputada federal. É o que mostrou um levantamento do Ministério Público Eleitoral do estado.

Para falar sobre o assunto, o Painel Eletrônico convidou o a promotora de justiça auxiliar da Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo, Vera Lúcia Camargo Braga Tarbeti.

Na entrevista, ela falou que aumentou o número de denúncias de candidatas insatisfeitas com os partidos durante o primeiro turno das eleições. São denúncias de promessas falsas, empréstimo de nomes e descumprimento da cota eleitoral.

Na avaliação da promotora, por trás desse resultado estão as candidaturas fraudulentas apenas para cumprir a cota obrigatória determinada pela lei eleitoral. Segundo Vera Lúcia, muitos partidos fazem promessas que não são cumpridas e o resultado são endividamento e depressão das candidatas.

Para a promotora Vera Lúcia, os partidos que não cumpriram a lei das cotas devem ser punidos. Para isso, ela pretende encaminhar as denúncias, com áudios e comprovantes, à Justiça Eleitoral, para providências. A falta de compromisso dos partidos impede a representação feminina na política, explicou.

Para evitar futuras fraudes nas próximas eleições, Vera Lúcia pretende criar um grupo de trabalho para esclarecer às futuras candidatas sobre como agir, a fim de evitar os enganos e garantir que a participação da mulher na política seja efetiva.

Apresentação - Edson Junior e Elisabel Ferriche