09/08/2017 20h45

Interferências na avaliação de pacientes com demência

Estudo apresentado pela professora Letícia Lessa Mansur, da Faculdade de Medicina da USP, conclui haver interferência dos níveis de educação ou base cultural na avaliação de pessoas com demência

A diferença de níveis de educação ou da base cultural pode interferir no processo de avaliação de um paciente com demência ou com declínio cognitivo leve?

Pode, sim. Pelo menos, essa é a conclusão de estudo apresentado pela professora Letícia Lessa Mansur, fonoaudióloga e professora do Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional da Faculdade de Medicina da USP, durante o 14º Congresso Mundial sobre Cérebro, Comportamento e Emoções realizado em junho de 2017 em Porto Alegre.

Apresentação - Humberto Martins