31/10/2018 - 15h19 Atualizado em 31/10/2018 - 18h02

Adiada votação do projeto da Escola sem Partido

Alex Ferreira/Câmara dos deputados
Reunião ordinária
Manifestantes lotaram o plenário da comissão

O presidente da comissão especial que analisa o projeto de lei da chamada Escola sem Partido (PL 7180/14), deputado Marcos Rogério (DEM-RO), anunciou o encerramento da reunião em que estava prevista a votação da proposta, devido ao início da Ordem do Dia do Plenário da Câmara.

Nova reunião será convocada para a próxima semana, mas ainda há a possibilidade de um pedido de vista adiar novamente a votação.

Representantes de sindicatos de professores, da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes) e do Movimento Educação Democrática lotaram o plenário da comissão para protestar contra a matéria. Houve embate com alguns defensores do Escola sem Partido, que também estavam no plenário em menor número.

Reunião fechada
Marcos Rogério não descarta a hipótese de a nova reunião ser fechada ao público. “O Regimento Interno prevê como regra geral a sessão aberta, mas, se você tiver um ambiente que impossibilite os trabalhos dos parlamentares por manifestações que extrapolem as regras regimentais e legais, o próprio regimento dá as direções para o funcionamento da comissão”, disse.

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) afirmou que a oposição não aceitará que a reunião seja fechada. “ É inconstitucional fechar a reunião; a Constituição diz que os atos do Parlamento são obrigatoriamente públicos”, destacou.

.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Lara Haje
Edição – Natalia Doederlein

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Odilon camparin | 28/11/2018 - 09h14
Vamos fazer prevaceler a livre escolha dos pais. Escola sem partido , já!!!
Marcella Silva | 11/11/2018 - 19h35
Escola tem que ensinar e não doutrinar. Jovens se tornam presas fáceis desses professores doutrinadores. Jovem ainda está em formação de opinião, não tem seu senso crítico! Não sabem o que é isso, não é a fase deles. Jovem tem que preocupar em estudar, dar um rumo em sua carreira profissional. Tenho certeza que daqui há alguns anos muitos deles de arrependerão do que pensam hoje. Eu tb fui jovem... E como mudei, como perdi tempo... Compramos ideias de pessoas em que admiramos ( no caso, professores) e nem sabemos analisar de fato, os fatos. Escola sem partido já!
Luciane Moraes | 09/11/2018 - 19h06
Sou acadêmica de licenciatura(pedagogia), e sou a favor da Escola sem Partido. Sou a favor de professores dando aulas, nos capacitando para um ensino de qualidade.