Saúde Preta Importa

 

 

Exposição virtual "Saúde Preta Importa" celebra o Dia da Consciência Negra

O dia 20 de novembro marca o Dia Nacional da Consciência Negra. Para celebrar a data, a Câmara dos Deputados inaugura a exposição virtual “Saúde Preta Importa”, que traça um breve panorama da saúde da população negra brasileira, com dados oficiais comparativos sobre várias doenças, como, por exemplo, o número de mortos e infectados por Covid-19.

Acessível pela página do Centro Cultural no portal da Câmara dos Deputados, a exposição tem como destaques os principais problemas que afetam a saúde física e mental dos negros, bem como suas mais importantes conquistas legais e no campo das políticas públicas nacionais, mas sem esquecer os desafios que ainda persistem, em grande parte por conta do racismo estrutural da sociedade. Ela é composta de dados de pesquisas, textos explicativos, fotos, vídeos, gráficos e infográficos.

De acordo com Raphael Cavalcante, a curadoria da exposição se mostrou uma excelente oportunidade de escancarar o racismo estrutural. “Buscamos utilizar como mote a maior mortandade de pretos e pretas durante a pandemia do novo coronavírus e, a partir daí, analisarmos as causas que levam a população negra brasileira a apresentar índices piores em várias áreas do desenvolvimento humano. A resposta cristalina: o racismo estrutural, alinhado com a herança escravocrata que ainda grassa na sociedade brasileira. Pretos e pretas ocupam os estratos mais baixos da pirâmide social, as classes sociais mais vulneráveis, e, portanto, são menos assistidos pelo Estado, com uma imensa dificuldade de acesso a serviços públicos essenciais”, explica.

Inspiração

O título da mostra foi inspirado no movimento Black Lives Matter, que reivindica a preservação de vidas negras em todo o mundo. O Black Lives Matter é uma intervenção ideológica e política criada em 2013 em resposta ao assassinato do adolescente Trayvon Martin e visa protestar contra a brutalidade policial e todo o tipo de violência motivada por questões raciais direcionadas a pessoas negras. O movimento se fortaleceu em maio de 2020, quando o negro estadunidense George Floyd foi estrangulado por um policial em uma abordagem na cidade de Minneapolis, EUA. O ato causou grande comoção, ensejando manifestações em diversos países em clamor pela preservação de vidas negras.