Conselho de Ética recomenda penalidade de perda de mandato do Deputado Luiz Argôlo

28/10/2014 18h25

O Conselho de Ética aprovou nesta terça-feira (28), por treze votos favoráveis e quatro votos contrários, o parecer do Deputado Marcos Rogério (PDT-RO), relator dos Processos nºs 14/14 e 15/14, ambos em desfavor do Deputado Luiz Argôlo (SD-BA). Em seu parecer, Marcos Rogério propôs a aplicação da penalidade de perda de mandato ao parlamentar baiano, por conduta incompatível com o decoro parlamentar.

Votaram sim ao Parecer os Deputados Fernando Ferro, Zé Geraldo, César Colnago, Izalci, José Carlos Araújo, Renzo Braz, Paulo Freire, Luiz Couto, Jorginho Mello, Júlio Delgado, Marcos Rogério, Rosane Ferreira e Félix Mendonça Júnior. Manifestaram-se contrariamente ao parecer os Deputados Mauro Lopes, Roberto Teixeira, Sérgio Brito e Wladimir Costa.

A matéria segue para apreciação do Plenário da Casa, nos termos de Projeto de Resolução do Colegiado, cabendo, entretanto, ao Representado a interposição de Recurso perante a Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania. Argolo foi citado nos processos em razão de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal em decorrência da Operação Lava Jato.

 

Ações do documento