Página Inicial Notícias Outros excertos dos discursos na Plenária de Boas-vindas

Outros excertos dos discursos na Plenária de Boas-vindas

O Líder da Bancada Parlamentar do PCD, na sua alocução proferida no decurso da Sessão Plenária do dia 4 de Agosto, por ocasião da visita oficial do PAN de Cabo Verde ao País, enfatizou a assimilação dos modos e costumes cabo-verdianos, por parte dos cidadãos santomenses, e, vice-versa.

Dirigindo-se ao Presidente do Parlamento cabo-verdiano, Danilson Cotú salientou: «No contexto da sua visita a São Tomé e Príncipe, não poderíamos deixar de transmitir a Vossa Excelência que, não obstante as novas divergências políticas internas, exacerbadas não raras vezes por razões sobejamente conhecidas, o País vive num clima de completa tranquilidade e paz social, o que vem merecendo o pleno reconhecimento dos nossos parceiros de cooperação e da comunidade internacional em geral.

Chegados aqui, é de toda a justiça uma referência elogiosa a Cabo Verde pela abertura e profundidade do debate levado a cabo no âmbito da construção do seu processo democrático, assumido em toda a sua plenitude e fidelidade pelo Parlamento sob a sábia direcção de Vossa Excelência e marcado pela liberdade prevalecente na administração pública e na comunicação social, preceito básico à revelia do qual a democracia se torna num espaço aberrante e monolítico ao serviço dos apetites egoístas de quem está no poder.»

Da Bancada Parlamentar do MLSTP/PSD, o uso da palavra coube ao Deputado Arlindo Barbosa. Deixou a entender que, é num misto de satisfação e admiração, que os sociais-democratas ficam com a seguinte constatação: «Cabo Verde tem trilhado o caminho de progresso nacional, com profundo sentido patriótico na busca da paz e estabilidade como condição indispensável ao seu processo de desenvolvimento socioeconómico e da consolidação do sistema democrático.

Estamos seguros de que a troca de experiências entre os nossos dois Parlamentos pode proporcionar as duas partes soluções inovadoras para problemas comuns, como o combate à fome e a pobreza, e a exclusão social, como tarefas inadiáveis, estabelecendo novas alianças que possibilite fortalecer a nossa capacidade de articulação.»

A Deputada Ângela Pinheiro, em representação do ADI, colocou o acento tónico na irmandade entre os povos santomense e cabo-verdiano. Na vertente política, estabeleceu a comparação entre as duas realidades, tendo sido peremptória:

«Sois um exemplo a seguir.

De facto, a instabilidade governativa tem sido um handicap ao desenvolvimento de São Tomé e Príncipe.

Excelência,

mas há um facto que nos alegra, é a coragem que os sãotomenses demonstraram no passado 12 de Outubro, num acto democrático, conferindo a maioria confortável ao partido ADI, que aqui representamos, para que desta vez e para sempre, São Tomé e Príncipe viva a estabilidade política, factor essencial para garantir um desenvolvimento sustentável que o povo destas ilhas de nome santo tanto alvejam.

O impacto desta estabilidade politica já começa a dar seus frutos e a nossa população começa a sentir:

o país prepara-se para se descolar rumo ao desenvolvimento; os investidores estrangeiros começam a visitar mais o nosso país, a comunidade internacional acredita em STP; a sociedade civil está mais confiante e vai-se desafiando com iniciativas empreendedoras, tanto no âmbito empresarial como social.

Sentimos todos, essa energia no passado 12 de Julho, na comemoração dos 40 anos da nossa independência.», sublinhou.

Espírito Santo