Página Inicial Notícias Do diagnóstico, SG da ANSTP e Adjundo de SG da ARP fazem prognóstico para 2015

Do diagnóstico, SG da ANSTP e Adjundo de SG da ARP fazem prognóstico para 2015

O Secretário-Geral da Assembleia Nacional de S. Tomé e Príncipe enalteceu a cooperação Parlamentar Luso São-Tomense, tendo sublinhado que muitos são os técnicos de apoio parlamentar santomense que já frequentaram estágios na Assembleia da República de Portugal.

Ao discursar no acto de assinatura do Relatório da Avaliação Intercalar, Domingos Boa Morte disse que, à luz dessa cooperação, se constata que, «é unanime em S. Tomé e Príncipe, que os Serviços Parlamentares é um dos poucos serviços públicos mais organizados.

E isso, pode crer, Senhor Secretário-Geral Adjunto, deve-se à cooperação parlamentar com Portugal, que tem versando sobretudo, no domínio da formação e capacitação dos quadros parlamentares, nos mais diversos domínios da actividade parlamentar.»

Os Sectores de Informática e da Biblioteca, Arquivo e Documentação e o Serviço de Apoio Parlamentar, nomeadamente a Redacção e Apoio ao Plenário são os que foram citados por Boa Morte, como aqueles em que essa cooperação «deixou uma marca indelével», revelou.

O malogrado Francisco da Silva foi evocado pelo actual Secretário-Geral da Assembleia Nacional em virtude daquele ter sido «um dos mentores da cooperação parlamentar luso são-tomense»; quando, na década 90,  exercia as funções de Secretário-Geral da Assembleia Nacional de S. Tomé e Príncipe.

Por sua vez, o Secretário-Geral Adjunto da Assembleia da República Portuguesa, José Manuel Araújo, precisou que, muito brevemente, os Deputados que compõem a Presente Legislatura vão participar num seminário, a ter lugar em S. Tomé, sobre ‘o processo legislativo e a fiscalização política’, para além de virem a se deslocar à Lisboa, em visita de estudo.

Uma atenção particular, indicou ainda, será também reservada ao Sector da Informática, para uma melhoria de informatização dos Serviços, bem como os Sectores de Protocolo e Relações Internacionais. «Enquanto representante da Assembleia da República, a nossa preocupação é que posamos partilhar essas informações, ter um conjunto de acções que visam, fundamentalmente, o apoio aos Senhores Deputados. Os Senhores Deputados são os titulares deste Órgão de Soberania e é para eles que este trabalho todo é feito. Se queremos um serviço a funcionar bem, é porque esse serviço tem que servir os Deputados e os Deputados têm que ter a certeza de que quando recorrem a ele, estão a ter uma resposta competente, capaz e feita com isenção que os serviços devem ter, quando se relacionam com qualquer deputado, seja ele de que grupo parlamentar for.» frisou.

Manuel Araújo, por seu turno, falou também da dinamização dos Serviços pelo então Secretário-Geral, Francisco Silva, «e enquanto Presidente, deu à essa cooperação um impulso relevante.

Na nossa área, também uma mulher; Drª. Arlinda Sá Carvalho, foi Secretária-Geral durante 13 anos, da Assembleia da República. Deu-nos um ensinamento da importância da cooperação. E é esse trabalho que queremos continuar. É esse trabalho que devemos ser dignos sucessores. Do trabalho de pessoas, por quem temos tanta estima.»

No final do ano de 2015, proceder-se-á a avaliação final e só depois serão perspectivadas novas acções no âmbito dessa cooperação.

 Espírito Santo