Dia Nacional da Língua Portuguesa reforça importância do idioma como meio de difusão histórica e cultural

09/05/2017 12h13

Em alusão ao Dia Nacional da Língua Portuguesa e Cultura, comemorado em 5 de maio, a presidente da Rede de Mulheres Parlamentares da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), deputada Rosângela Gomes, sugeriu que a Câmara dos Deputados ofereça cursos de aperfeiçoamento de português para representantes de países que não o têm como idioma oficial, embora integrem a CPLP, como é o caso de Guiné Equatorial. O objetivo é o de ampliar o intercâmbio de informações entre os países membros do grupo. A ação faz parte do plano estratégico aprovado durante a Conferência da Rede de Mulheres da CPLP, realizada em abril na Câmara. O curso terá ênfase no contexto parlamentar e será ministrado pelo Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento (Cefor) da Casa.

Ao todo, nove países têm o português como língua oficial ou dominante. São eles Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor Leste e Guiné Equatorial. A língua portuguesa é o quarto idioma mais falado no mundo, atrás do mandarim, do espanhol e do inglês. A língua é utilizada por 261 milhões de pessoas. "O Dia Nacional da Língua Portuguesa e Cultura recorda a existência de uma herança histórica, cultural e linguística que une países com culturas bastante diversas. É importante celebrar e reafirmar a importância da língua portuguesa como meio de difusão da criação cultural entre os povos que falam português e de projeção internacional dos seus valores culturais”, afirma Rosângela Gomes.

O Brasil é o país com o maior número de falantes da língua portuguesa. Segundo projeções demográficas das Nações Unidas, em 2050 haverá cerca de 387 milhões de lusofalantes em todo o mundo.

 

Ações do documento