08/08/2016 12h00

Água

Nesta edição do Salão Verde são abordados os desafios de gestão dos Comitês de Bacia Hidrográfica e é apresentada também a experiência pioneira do município de Extrema (MG), com o pagamento por serviços ambientais

A água que hoje usamos para matar a sede e tomar banho é composta das mesmas moléculas que formaram os mares em que nadaram os primeiros peixes, há milhões de anos. Mas um recurso renovável não se mantém, necessariamente, inesgotável e com boa qualidade para sempre. Tudo depende do equilíbrio entre a renovação do recurso e o consumo. E hoje o mundo vive uma crise de abastecimento de água.

Nesta edição do Salão Verde são abordados os desafios de gestão dos Comitês de Bacia Hidrográfica e é apresentada também a experiência pioneira do município de Extrema (MG), com o pagamento por serviços ambientais.

Os entrevistados são o consultor legislativo Maurício Boratto, da Câmara dos Deputados, e o gestor ambiental Paulo Henrique Pereira, secretário de Meio Ambiente no município de Extrema. Geólogo e bacharel em Direito, Boratto tem longa experiência no estudo dos recursos hídricos, tendo feito especializações em Gestão Ambiental no Brasil, Japão e Suécia e mestrado e doutorado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília (UnB). Já Pereira realiza há dez anos o projeto Conservador das Águas, que remunera os produtores rurais que realizam ações de reflorestamento em suas propriedades.

Você sempre pode participar do programa por meio do Disque Câmara, 0800 619 619, ou pelo e-mail radio@camara.leg.br.

Apresentação – Cynthia Sims