15/05/2019 16h18

Manifestação contra cortes na Educação reúne estudantes em frente ao Congresso

A manifestação contra os cortes na Educação em Brasília começou no Museu da República e ficou concentrada em frente ao Congresso Nacional durante a manhã desta quarta-feira (15). Na Universidade de Brasília, mais cedo, algumas faixas diziam: “Hoje a aula é na Esplanada”. E os estudantes atenderam. Cerca de 6 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, ou 50 mil, segundo os manifestantes, gritavam palavras de ordem contra os cortes.

No carro de som, além da União Nacional dos Estudantes, sindicatos de professores e técnicos; vários parlamentares, como a deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC):

"Bom dia juventude. Juventude que não se dobra, juventude que não se cala, juventude que não enverga, juventude que é madeira de lei, que cupim não rói, que veio aqui hoje mostrar para o Bolsonaro. Aprenda! Aprenda no nosso aulão que não vamos aceitar os cortes na educação".

A estudante Samara Correia, que estuda Teoria Crítica e História da Arte na Universidade de Brasília, conta que a falta de dinheiro é visível:

"Sim, esses cortes já são perceptíveis, principalmente na manutenção dos prédios, segurança, vigilantes. Curso noturno então, menos ainda. Tem dia que não tem aula porque não tem porteiro para ficar cuidando do prédio. Então a gente tem que procurar sala no ICC (Instituto Central de Ciências) porque no prédio do IDA (Instituto de Artes) não tem como ficar. Então já é nítido".

Muitos afirmaram que a educação é investimento e que não deveria ser cortada. E criticaram o ministro da Educação, Abraham Weintraub, por se referir às universidades como local de "balbúrdia".

Reportagem - Sílvia Mugnatto