24/01/2019 20h02

Deputado critica fusão do Ministério da Segurança Pública ao Ministério da Justiça

Capitão Fábio Abreu (PR-PI) considera um contrassenso a atitude do Governo Bolsonaro

O aumento da violência é o assunto que mais preocupa os brasileiros, de acordo com vários levantamentos de opinião pública divulgados pela mídia desde o ano passado. Não sem razão. De acordo com o Atlas da Violência 2018, o Brasil tem mais de 60 mil mortes violentas por ano. Isso equivale a uma taxa de 30,3 mortes para cada 100 mil habitantes, que corresponde a 30 vezes a taxa da Europa.

Criado em fevereiro do ano passado, o Ministério da Segurança Pública não durou nem um ano, já que foi incorporado ao Ministério da Justiça, a partir deste ano. Levando em conta essa sensação de insegurança por parte da população, o deputado Capitão Fábio Abreu, do PR do Piauí, considera um contrassenso a atitude do Governo Bolsonaro:

"Na minha opinião, deveríamos era fortalecer esse ministério por tratar-se de um ministério que o próprio presidente Jair Bolsonaro foi eleito com a bandeira da segurança pública. Como é que eu tenho um assunto da importância que é a segurança pública e a pasta que estaria ligada diretamente a esse problema é simplesmente atrelada ao Ministério da Justiça."

O deputado tem experiência na área:

"Fui secretário de Segurança Pública do estado do Piauí, sou capitão da Polícia Militar e sei da necessidade, da importância dessa pasta. E, principalmente, da necessidade da participação da União no que se refere ao assunto segurança pública."

Além do fim do ministério, o deputado Capitão Fábio Abreu, ressalta um outro ponto:

"A questão do Fundo Nacional de Segurança Pública, que é o que realmente vai fazer com que o gestor consiga fazer um trabalho, porque ele vai ter a certeza de um recurso que ele vai gerenciar. Então, essas duas pautas são a nossa preocupação e nós entendemos que precisamos, carecemos de uma explicação melhor, mais aprofundada do porquê dessa decisão de não mais termos o Ministério da Segurança Pública."

O Capitão Fábio Abreu foi reeleito no ano passado e assumirá, em 1º de fevereiro, o seu segundo mandato como deputado federal. Ele integra a Frente Parlamentar da Segurança Pública.

Reportagem - Newton Araújo