08/05/2018 21h13 - Atualizado em 09/05/2018 09h35

Apenas 3% dos resíduos sólidos são reciclados no Brasil, segundo Ipea

Participantes do setor de reaproveitamento dos resíduos da construção civil se reuniram na Câmara para discutir como aumentar este percentual

Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o IPEA, mostram que só 3 por cento do que é descartado no Brasil vai para a reciclagem. Participantes do setor de reaproveitamento dos resíduos da construção civil se reuniram aqui na Câmara para discutir como aumentar este percentual. Eles propuseram que a legislação ambiental se adeque à realidade do mercado e às novas tecnologias. Também cobraram do Estado o papel de maior comprador e consumidor do produto reciclado, como determina a legislação. Para a representante do Ministério do Meio Ambiente, Zilda Veloso, muitas vezes há uma cultura de desvalorização do reciclado.

"No nosso País, a palavra reciclagem ainda tem muitas vezes uma conotação pejorativa. Ou seja, ‘Ah, é reciclado, é de segunda categoria’. E não é assim. Nós estamos poupando matéria-prima, extração de novos minerais do meio ambiente. Por que não reutilizarmos?".

Lilian Sarrouf, da Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil, ressaltou que, além do ganho ambiental, há vantagens econômicas em reciclar o material da construção e das demolições. Ela deu um exemplo: em uma obra de um prédio residencial, há mais de 90 tipos de resíduos que podem ser reaproveitados.

Para o deputado Carlos Gomes, do PRB do Rio Grande do Sul, que propôs a discussão na Comissão de Meio Ambiente, todas as esferas de governo devem se unir para dar a destinação correta aos resíduos da construção civil.

"Hoje tem muitos municípios que estão deixando ir para os aterros, reduzindo a vida útil dos aterros, desperdiçando toda essa matéria prima que pode ser feita tantas outas coisas, como nós vimos aí, tijolos, blocos, preenchimentos de desníveis, enfim, pode ser aplicado em várias áreas"

Durante a audiência pública, o deputado Carlos Gomes citou um projeto seu que institui a Lei de Incentivo à Reciclagem. Tal como as leis para a Cultura e o Esporte, a proposta é que projetos sejam selecionados e possam captar recursos da redução de impostos.

Reportagem - Cláudio Ferreira