26/10/2016 20h36

Dois deputados ingressam com novo requerimento para criação da CPI da UNE

Sóstenes Cavalcanti e Marco Feliciano também querem a investigação da Ubes

Os deputados Sóstenes Cavalcanti (DEM-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP) apresentaram, nesta quarta-feira (26), requerimento para criação de Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes).

De acordo com os parlamentares, a CPI já foi arquivada duas vezes e mesmo assim foram obtidas 182 assinaturas. Feliciano explicou que eles poderiam ter apresentado recurso ao Plenário da Câmara para questionar decisão do presidente Rodrigo Maia de arquivar o último pedido de criação da comissão, mas preferiram colher outras assinaturas para outra CPI.

"O País não suporta mais as coisas que estão acontecendo. A CPI da UNE precisa acontecer porque a UNE é uma instituição antiga, com quase 80 anos no nosso País, que viveu os melhores momentos políticos do nosso País, que contribuiu tanto com a democracia no nosso País, de repente está aparelhada por partidos de esquerda que chamamos de puxadinhos do PT."

Sóstenes Cavalcanti explicou que também propôs a investigação da Ubes em razão das ocupações de escolas que ocorrem no País, que resultaram na morte de um estudante no Paraná.

O líder do PT, deputado Afonso Florence (BA), afirmou que a CPI é uma forma que o governo encontrou de desviar a atenção do fato de que milhares de escolas de ensino médio e de universidades públicas estejam sendo ocupadas contra o corte de verbas na educação e contra a MP do Ensino Médio. Florence afirmou que não se pode falar que as entidades sejam aparelhadas por partidos de esquerda.

"Eles querem fazer disputa política e tirar o foco central da conjuntura. Quem quer atacá-los dizem que as igrejas que eles representam são puxadinhos do governo Temer. Não é esse o nível do debate. As entidades elegem seus dirigentes junto aos estudantes, são jovens combativos, autônomos e somente porque não fazem o jogo deles consideram que são de seus partidos oponentes."

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que, se houver fato determinado, vai instalar a comissão. De acordo com o Regimento Interno da Câmara, as CPIs são criadas mediante requerimento de 1/3 dos deputados, para a apuração de fato determinado e por prazo certo. As regras permitem o funcionamento de cinco comissões ao mesmo tempo, e hoje há apenas duas instaladas na Casa.

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier