02/06/2016 17h12

Deputada defende rapidez na análise de propostas de combate à violência contra a mulher

Soraya Santos coordena a comissão externa que vai acompanhar as investigações do caso de estupro coletivo contra uma adolescente no Rio de Janeiro.

Coordenadora da comissão externa da Câmara que vai acompanhar as investigações do caso de estupro coletivo contra uma adolescente no Rio de Janeiro defende mais rapidez na análise de projetos de segurança pública e combate à violência contra a mulher já em tramitação na Casa. A deputada Soraya Santos, do PMDB do Rio de Janeiro, presidiu (nesta quinta-feira, 2) a primeira reunião do grupo.

"Esta Casa tem projetos belíssimos. Talvez não seja criar mais nada. Talvez seja reunir, pensar as boas ideias e delas formatar num único instrumento, ou dois ou três, projeto que reunidos eles possam ir a plenário de uma forma solidária, conjunta porque isso não é uma ação de um é uma ação de um colegiado."

A deputada Soraya afirmou que grupo deve investigar ainda o caso recente do estupro coletivo que aconteceu na cidade de Bom Jesus, no Piauí, além de outros crimes como difamação e tráfico de drogas.

"As pessoas estão se ligando muito no estupro, mas nós temos ali outros crimes que nós temos que ficar atentos. Porque há o crime de difamação, da multiplicação dessas imagens. Há também uma preocupação que esses crimes estão acontecendo como consequência, mas nós temos que ter um olhar, por exemplo, na política de combate às drogas deste país, porque isso está muito no meio do álcool e droga."

A coordenadora disse também que o grupo irá levar na próxima terça-feira (7) um relatório inicial para o presidente da Casa em que serão indicadas as atividade da comissão, entre as quais estão incluídas possíveis visitas ao Rio de Janeiro e ao Piauí para fazer acompanhamento das investigações de perto.

Reportagem — Ana Gabriela Braz