28/01/2016 16h19

Criação do estado do Entorno tramita na Câmara

Novo estado abrangeria cidades de Goiás situadas no entorno do Distrito Federal. Projeto prevê plebiscito para decidir sobre a proposta.

Um novo estado, chamado Entorno, pode surgir se for realizado plebiscito em Goiás previsto em projeto de decreto legislativo (PDC 246/15) apresentado no ano passado e em tramitação na Comissão de Integração Nacional da Câmara. De acordo com a proposta, o estado do Entorno reuniria Abadiânia, Água Fria de Goiás, Águas Lindas de Goiás, Alexânia, Cabeceiras, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Cristalina, Formosa, Luziânia, Mimoso de Goiás, Novo Gama, Padre Bernardo, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso de Goiás e Vila Boa. Em caso de resultado favorável, seria apresentado projeto de lei complementar na Câmara ou no Senado propondo a criação do Entorno, conforme prevê o artigo 18 da Constituição Federal. O autor da proposta, Célio Silveira, do PSDB de Goiás, justifica sua proposta.

"O estado de Goiás tem dificuldades para investimento, e o Distrito Federal tem muitas dificuldades em atender as demandas dessa região. Por isso entramos com esse projeto e estamos pedindo o apoiamento de todos os deputados para que o estado do Entorno venha trazer segurança, qualidade de vida e melhoria de vida para todos os habitantes do Distrito Federal."

O deputado afirma que o novo estado geraria 50 mil empregos e maior segurança pública para um região conhecida pelos elevados índices de criminalidade.

No Mapa da Violência de 2015, 10 cidades do Entorno aparecem na lista de 250 cidades com mais homicídios por 100 mil habitantes entre os anos de 2010 e 2012. A mais violenta delas é Valparaíso de Goiás, com 66,6 homicídios por 100 mil habitantes, o que a colocou em 27º colocação.

Entre 2002 e 2012, Goiás registrou mais de 18 mil homicídios, o que representa 33% dos homicídios do país. A explosão populacional também chama atenção. Entre 91 e 2000, a população brasileira cresceu 15,6%. No Entorno, foi de 76%. Segundo o economista do Ipea Rogerio Boueri, a criação de uma unidade federativa pode trazer crescimento econômico, mas é uma solução muito cara, já que o Estado passa a depender de dinheiro da União.

Na Câmara, há nove projetos de decreto legislativo que propõem novos estados. Entre eles, Maranhão do Sul, Mato Grosso do Norte, São Francisco, Araguaia, Oiapoque e Gurguéia, no sul do Piauí.

Reportagem — Luiz Cláudio Canuto