07/06/2019 09h26

Deputados analisam o projeto do Executivo que altera o Código de Trânsito - Bloco 2

Christiane Yared e Coronel Armando debatem a eficiência e as propostas do projeto entregue ao Congresso pelo presidente Jair Bolsonaro na última terça-feira (04)

A deputada Christiane de Souza Yared, do PL do Paraná e o deputado Coronel Armando, do PSL de Santa Catarina, repercutiram o projeto de lei do Executivo que muda as regras para emissão da Carteira Nacional de Habilitação, em entrevista ao Painel Eletrônico.

A deputada Christiane Yared disse que não concorda com a flexibilização nas regras para a suspensão da carteira de habilitação por entender que o país não educa, não fiscaliza e nem pune, por isso as regras devem ser duras para os maus motoristas. A deputada disse que o projeto do Executivo não é de todo ruim, vai ser aprimorado e amplamente debatido antes da aprovação. Entre os pontos de concordância, a deputada citou o fim da exclusividade do Detran do exame médico para renovação da carteira de motorista, que poderá ser feito em qualquer clínica, pelo Sistema Único de Saúde, e planos de saúde. Segundo ela, a medida pode baratear o custo da renovação da habilitação. Entre as propostas que ela pretende sugerir é a de subordinar o tempo de renovação da carteira de habilitação ao comportamento do motorista, deixando a renovação com dez anos para os profissionais do trânsito como caminheiros e taxistas.

O deputado Coronel Armando concorda com essa possibilidade. Ele também acha que a proposta do governo deve ser aprimorada, e amplamente discutida. Ele não concorda, por exemplo, com o fim do exame toxicológico para caminhoneiros, mas aprova o fim da multa para quem não transportar crianças em cadeirinhas, alegando que o estado está devolvendo à sociedade uma responsabilidade que é dela. Para o deputado Coronel Armando, a proposta do governo vai atualizar o código de trânsito, que já tem mais de 20 anos, e padronizar a atuação dos órgãos gestores.

Apresentação - Edson Junior e Elisabel Ferriche