24/04/2019 09h18 - Atualizado em 24/04/2019 10h05

Deputados Nelson Pellegrino e Bia Kicis comentam aprovação da reforma da Previdência na CCJ - Bloco 2

Admissibilidade da proposta foi aprovada por 48 votos a 18, nesta terça-feira (23). Ouça a íntegra das entrevistas em dois blocos

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça (23), por 48 votos a 18, a admissibilidade da reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro (PEC 6/19).

O texto, em tramitação na Câmara há dois meses, segue para a análise de comissão especial a ser instalada na quinta (25), segundo a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP).

Para viabilizar a aprovação, o relator na CCJ, deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), apresentou uma complementação de voto para retirar quatro prontos da proposta do Executivo, apontados por ele como em desacordo com a Constituição.

Em participação no Painel Eletrônico, os deputados Nelson Pellegrino (PT-BA) e Bia Kicis (PSL-DF) comentaram a aprovação do relatório. Ouça a íntegra das entrevistas em dois blocos.

Para o deputado Nelson Pellegrino (bloco 1), a oposição fez seu papel e obstruiu os trabalhos por dez horas e vai continuar fazendo em outras etapas de análise da proposta. Ele acha que é preciso separar as discussões: o regime geral da Previdência e o regime próprio do serviço público, já que os dois têm regras específicas. Segundo Nelson Pellegrino, o problema da Previdência não é a faixa etária para a aposentadoria, mas um problema fiscal que se resolve com a reforma tributária e a caça aos inadimplentes do INSS.

Já para a deputada Bia Kicis (bloco 2), o resultado da votação na CCJ foi uma grande vitória do governo e continuará sendo repetida em outras comissões. A deputada acredita que o texto será aprimorado, mas sem mudanças significativas que desidratem a proposta. Bia Kicis criticou a atuação da oposição, com a contínua obstrução dos trabalhos, e afirma esperar um comportamento mais civilizado e com decoro nas próximas etapas de discussão. A parlamentar confirmou que a comissão especial que dará continuidade à análise da reforma da Previdência será instalada quinta-feira (25), com início dos trabalhos previsto para o dia 7 de maio.

Apresentação - Edson Junior e Elisabel Ferriche