01/04/2019 10h14

CPI vai investigar supostas irregularidades praticadas pelo BNDES entre 2003 e 2015

O colegiado já foi instalado e tem como relator o deputado Altineu Côrtes (PR-RJ), que falou sobre os trabalhos da CPI em entrevista ao Painel Eletrônico

Uma nova CPI foi criada na Câmara para investigar supostas irregularidades praticadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES, relacionados à concessão de empréstimos voltados à internacionalização de empresas brasileiras, entre os anos 2003 e 2015.

O colegiado já foi instalado e tem como relator o deputado Altineu Côrtes (PR-RJ), que falou sobre os trabalhos da CPI em entrevista ao Painel Eletrônico.

Segundo o parlamentar, as operações do BNDES no período envolveram bilhões de dólares, e nunca foram esclarecidas. Altineu Côrtes considera como um dos focos da CPI a mudança no estatuto social do banco, que permitiu que a entidade financiasse a aquisição de ativos e investimentos realizados por empresas brasileiras no exterior, desde que contribuíssem para o desenvolvimento econômico e social do país.

Para o deputado Altineu Côrtes, é preciso esclarecer, de vez, as condições desses empréstimos e por quê eles não foram pagos, deixando um rombo no caixa da instituição.

Poderão ser convocados para prestarem esclarecimentos à CPI a ex-presidente Dilma Rousseff; os empresários Marcelo Odebrecht, Eike Batista, e irmãos Joesley e Wesley Batista; além do ex-ministro Guido Mantega. E, entre os países que estarão na mira da CPI, está Angola, que fez contrato milionário com o BNDES. Nesta semana, a CPI do BNDES fará a primeira reunião, na qual o relator deverá apresentar seu plano de trabalho.

Apresentação - Edson Júnior e Elisabel Ferriche