20/03/2019 09h59

Presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública discorda de reforma previdenciária para militares

Em entrevista ao Painel Eletrônico, deputado Capitão Augusto (PR-SP) falou sobre as prioridades do colegiado, instalado nesta quarta-feira

Deputados instalam nesta quarta-feira a Frente Parlamentar da Segurança Pública. O grupo, que tem mais de 300 integrantes, será coordenado pelo deputado Capitão Augusto (PR-SP), que falou sobre as prioridades do colegiado em entrevista ao Painel Eletrônico.

Eleito presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado na semana passada, Capitão Augusto afirma que a pauta mais importante da comissão é o pacote anticrime enviado ao Congresso pelo ministro Sérgio Moro. Segundo o parlamentar, a frente parlamentar vai debater, ainda, a flexibilização do Estatuto do Desarmamento, prevista no decreto editado pelo governo federal, em janeiro.

Na entrevista, Capitão Augusto também comentou a reforma da Previdência para os militares, que deverá chegar à Câmara nesta quarta-feira. O deputado discorda que os militares e policiais precisem dar sua cota de sacrifício, já que estão sendo sacrificados há décadas, com os piores planos de carreira e os piores salários. Segundo o presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, os militares já estão no limite e não existe "mais gordura para ser queimada".

Apresentação - Edson Júnior e Elisabel Ferriche