15/10/2018 10h06

Todos unidos no combate ao câncer infanto-juvenil: 80% dos casos têm cura; fique atento aos sintomas

Ouça a entrevista do presidente da Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (Coniacc), Rilder Campos

Imagine uma criança descobrir que o seu universo infantil, povoado de super-heróis, foi invadido por um anti-herói inesperado e muito temido, até mesmo pelos adultos: o câncer?

No Brasil, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), por ano, são diagnosticados mais de 12 mil novos casos no meio do público infanto-juvenil. Porém, apenas cerca de 3 mil casos são notificados e, dentre os casos diagnosticados, muitos são encaminhados aos centros de tratamento com a doença já em estágio avançado.

Diante desse dado alarmante, a Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (Coniacc) e suas 54 filiadas espalhadas em todo país uniram esforços para ajudar os pequenos brasileiros e familiares a prevenir e combater a doença, que pode ser confundida com outras enfermidades comuns em crianças e adolescentes.

Para falar sobre o tema, o Painel Eletrônico convidou o presidente da entidade, Rilder Campos. Na entrevista, ele destacou que 80% dos casos de câncer infantil têm cura, por isso a importância do diagnóstico precoce.

O problema, segundo Rilder Campos, é que ainda falta conhecimento da população sobre a doença e é preciso quebrar o tabu do medo. Além disso, a distância dos principais centros de oncologia, a falta de oncologistas pediátricos e a pobreza fazem com que os pais demorem a procurar por médicos, dificultando a cura, levando à morte da criança ou deixando graves sequelas.

Portanto, é preciso ficar atento aos sintomas como dor de cabeça prolongada, sangramento gengival, fraqueza e abdômen dilatado.

Apresentação - Elisabel Ferriche e Edson Junior