08/10/2018 10h28 - Atualizado em 08/10/2018 12h37

Especialista avalia cenário político com PT e PSL donos das maiores bancadas na Câmara

Ouça a entrevista do analista político do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) Antônio Augusto de Queiroz

Qual vai ser a nova cara da Câmara dos Deputados para os próximos quatro anos? Quem nos ajuda a entender esse novo cenário é o analista político do Diap - Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, Antônio Augusto de Queiroz, que falou sobre o assunto em participação no Painel Eletrônico desta segunda-feira.

Na entrevista ele repercutiu os resultados das eleições que ocorreram ontem em todo o Brasil. Segundo ele, a nova cara da Câmara para os próximos anos apresentará um certo equilíbrio tanto para o PT quanto para o PSL, partidos dos dois candidatos que disputarão segundo turno. Segundo o especialista, isso, na prática, vai facilitar a governabilidade, embora o vencedor do dia 28 de outubro, tenha que negociar com o centrão.

No senado, 24 dos 32 parlamentares que buscavam a reeleição não conseguiram renovar o mandato. Já candidatos não políticos e celebridades foram eleitos. Para o analista Antônio Augusto, essa renovação reduz a qualidade do Parlamento, dificultará as articulações políticas necessárias para votações importantes e o Parlamento vai "patinar" por muito tempo, até chegar à maturidade.

Para o analista político, o eleitor foi coerente ao garantir uma expressiva renovação no Parlamento, mesmo depois dos parlamentares terem feito uma reforma política para garantir o retorno dos que já tinham mandato. Para o analista, o segundo turno será a oportunidade para que os dois candidatos possam mostrar propostas claras para cada um dos assuntos que o eleitor quer ver solucionado, como as reformas política, tributária, trabalhista e da previdência social.

Apresentação - Elisabel Ferriche e Edson Junior