28/09/2018 16h53

Relatório do Conselho Indigenista Missionário denuncia aumento da violência contra povos indígenas no Brasil

Segundo o documento, 110 índios foram assassinados; 128 tiraram suas próprias vidas; e 702 crianças indígenas morreram no País em 2017. Ouça a entrevista sobre o assunto

A violência contra os povos indígenas é uma realidade que não para de crescer no Brasil. No ano passado, 110 índios foram assassinados; outros 128 tiraram suas próprias vidas; e 702 crianças indígenas morreram no País. É o que mostra o último Relatório sobre a Violência contra os Povos Indígenas, elaborado pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e divulgado nesta quinta-feira.

O documento aponta, também, omissão e morosidade na regularização das terras tradicionais e a inconstitucionalidade do parecer da Advocacia-Geral da União que fundamenta novas formas de esbulho possessório.

Para falar sobre o assunto, o Painel Eletrônico convidou o secretário-executivo do Cimi, Cléber Buzatto. Segundo ele, esse aumento da violência está relacionado à desassistência aos índios na área da saúde.

Na entrevista, Cléber Buzatto também fez críticas ao Congresso Nacional que, segundo ele, "está atuando na contramão para garantir as demarcações de terras indígenas".

Atualmente, existe cerca de 1 milhão de indígenas de mais de 250 etnias vivendo em quase 14% do território nacional. Eles correspondem a um pouco menos de 1,5% da população do País.

Apresentação - Elisabel Ferriche e Edson Junior