27/09/2018 12h00

Congresso “Todos juntos contra o câncer” discute inovação tecnológica para o tratamento da doença

Ouça a entrevista do presidente do Conselho Nacional de Saúde, Ronald Ferreira dos Santos, sobre o assunto

A cada ano, ao redor do mundo, quase nove milhões de pessoas morrem de câncer e 14 milhões de novos casos são registrados. Segundo a Organização Mundial de Saúde, esse número, que pode subir em até 70% nas próximas duas décadas, gerou um alerta tanto na população, quanto nos médicos oncologistas.

No Brasil, até o final do ano, estima-se que vão surgir 570 mil novos casos de câncer.

O futuro da oncologia no Brasil é o centro do debate do V Congresso “Todos juntos contra o câncer”, que acontece em São Paulo. O evento, que teve início dia 25 e se encerra hoje, dia 27 de setembro, reuniu 3.500 participantes entre gestores, médicos, profissionais da saúde, representantes da sociedade científica, ONGs, ativistas, advogados e jornalistas.

Para falar sobre o tema, o Painel Eletrônico convidou Ronald Ferreira dos Santos, presidente do Conselho Nacional de Saúde, que participou dos debates.

Segundo ele, eventos como esse são importantes para garantir que o brasileiro possa ter mais acesso ao diagnóstico e tratamento de câncer. Ronald Ferreira afirma que o alto número de casos é reflexo do aumento da expectativa de vida da população nas últimas décadas. No congresso de especialistas, a conclusão é de que os investimentos públicos não acompanham o avanço da tecnologia e que o Estado precisa cumprir essa responsabilidade de demandar os recursos necessários para um bom atendimento na rede pública. Ainda segundo o presidente do Conselho Nacional de Saúde, os especialistas estão otimistas de que um novo governo possa mudar a realidade de hoje e que o interesse à saúde se sobreponha aos interesses econômicos.

Apresentação - Elisabel Ferriche e Edson Junior