25/09/2018 11h30

Solução para desemprego é o crescimento da economia e não mudanças na legislação trabalhista, diz pesquisador

O consultor legislativo da Câmara aposentado Adolfo Furtado é autor de novo estudo do “Fique por Dentro”, sobre o mercado de trabalho informal. Ouça a entrevista sobre o assunto

O Brasil tem, hoje, 13 milhões de desempregados e 37 milhões de pessoas estão na informalidade, ou seja, trabalham por conta própria, sem carteira assinada. Esses dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que o mercado de trabalho no país atravessa uma séria crise, motivada, principalmente, pelo baixo desempenho da economia brasileira.

Para explicar o funcionamento e a dinâmica do mercado de trabalho, o Painel Eletrônico convidou o consultor legislativo da Câmara aposentado, Adolfo Furtado, autor de mais uma edição do “Fique por dentro”, estudo da Consultoria Legislativa da Casa. O tema da nova pesquisa é mercado de trabalho informal.

Na entrevista, Furtado afirmou que o número de desempregados no Brasil é de 18 milhões de pessoas, e não 13 milhões, conforme dados divulgados pelo IBGE. Segundo o consultor, esse número é maior porque o instituto de geografia e estatística não considera no levantamento os 5 milhões de desalentados – pessoas que, desmotivadas, desistiram de procurar emprego nos 30 dias anteriores à pesquisa.

Ainda segundo Adolfo Furtado, o que aumenta o número de vagas de trabalho é o crescimento da economia, e não mudanças na legislação trabalhista.

Apresentação - Elisabel Ferriche e Edson Junior