24/09/2018 10h15

Entidades médicas entregam a presidenciáveis manifesto com propostas para melhorar a saúde no Brasil

Ouça a entrevista do presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Lincoln Ferreira, sobre o assunto

A defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), maior participação da União no investimento e no custeio da saúde, além da qualificação da gestão com o objetivo de melhorar a infraestrutura para atendimento dos pacientes. Esses são alguns dos pontos da agenda de prioridades elaboradas por entidades médicas entregue aos candidatos à Presidência da República, aos governos estaduais, ao Senado Federal, à Câmara dos Deputados e às assembleias legislativas.

Para comentar essas questões, consideradas urgentes para saúde brasileira, o Painel Eletrônico convidou o médico Lincoln Ferreira, presidente da Associação Médica Brasileira (AMB).

Segundo ele, as propostas foram bem recebidas por todos e as entidades médicas esperam que, independentemente de quem for eleito, o olhar para a saúde mude e seja visto com mais seriedade e comprometimento.

Entre as propostas encaminhadas estão: financiamento e planejamento adequados para a saúde; criação de uma lei de responsabilidade sanitária, que funcione como a Lei de Responsabilidade Fiscal; e o fim da influência política na área, que promove a descontinuidade dos programas de saúde, importantes para a população.

Outra sugestão das entidades médicas é a criação da carreira médica na rede pública sob responsabilidade da União. Segundo Lincoln Ferreira, a medida vai ajudar a criar as condições necessárias para o exercício da medicina no país. O médico citou o programa Mais Médicos como exemplo de que a medida é possível. Para Lincoln Ferreira, o programa provou que é possível estabelecer médicos brasileiros em cidades distantes desde que ele tenha estrutura adequada para trabalhar, tempo de serviço específico e a garantia de salário.

Apresentação - Elisabel Ferriche e Edson Junior