12/09/2018 10h16

Especialista explica como são feitas e qual o grau de confiabilidade das pesquisas eleitorais

O professor e cientista político Geraldo Tadeu, coordenador do Centro Brasileiro de Estudos e Pesquisas sobre a Democracia (Cebrad), fala sobre o assunto nesta edição do Painel Eletrônico

Sempre que se fala em pesquisas eleitorais, a confiabilidade do levantamento é alvo de divergências. Para explicar como elas são feitas e o grau de acerto, o Painel Eletrônico convidou o professor e cientista político Geraldo Tadeu, coordenador do Centro Brasileiro de Estudos e Pesquisas sobre a Democracia (Cebrad).

Segundo Geraldo Tadeu, o erro é relativamente raro e a probabilidade de acerto chega a 95% da realidade. Ele garante que as pesquisas eleitorais são sérias e controladas pelo Tribunal Superior Eleitoral, que exige o registro da metodologia aplicada, do instituto e do nome do responsável pelo levantamento, o que garante a qualidade da informação divulgada.

Ainda segundo o cientista político, as pesquisas são feitas com cálculos estatísticos confiáveis, mesmo em uma amostra de apenas 3 mil pessoas, em um universo de mais de 147 milhões de eleitores.

Geraldo Tadeu também destaca o detalhamento das entrevistas realizadas, o que permite obter informações sobre a idade, sexo, região de residência e classe econômica dos entrevistados.

Para o cientista político, as pesquisas eleitorais não determinam o voto do eleitor, mas podem influenciar na decisão.

Apresentação - Elisabel Ferriche e Edson Junior