11/09/2018 11h21

Entidades sociais cobram de candidatos revogação da emenda do teto dos gastos públicos - Bloco 2

Ouça a íntegra das entrevistas da representante da coordenação executiva da plataforma Dhesca Brasil Juliane Cintra; e do economista Raul Velloso sobre o assunto

Mais de 80 entidades da sociedade civil lançaram documento cobrando posicionamento de candidatos aos Poderes Executivo e Legislativo sobre a revogação da Emenda Constitucional 95, que trata do teto dos gastos públicos.

A mobilização alerta para a piora das condições de vida da população, para o colapso das políticas sociais e para o acirramento das desigualdades no país.

Para falar sobre o assunto, o Painel Eletrônico convidou Juliane Cintra, representante da coordenação executiva da plataforma Dhesca Brasil, que lançou a campanha "Direitos valem mais, não aos cortes sociais"; e o economista Raul Velloso. Ouça a íntegra das entrevistas em dois blocos:

Bloco 1: Segundo Juliane Cintra, a instituição do teto acaba criando um ciclo vicioso, onde a única solução para o déficit do Brasil é o corte de gastos. Ela acredita que a solução passa por contínuos investimentos em políticas sociais, o que faz a economia girar e crescer. Por isso, Juliane Cintra é contra a política de austeridade adotada pelo governo e propõe uma ampla reforma tributária progressiva, como alternativa para corrigir essas distorções.

Bloco 2: Já Raul Velloso, embora favorável à emenda, acredita que ela foi mal elaborada, porque limita os gastos, mas não dá mecanismos para que o governo possa garantir os investimentos necessários. O economista também é favorável a uma reforma tributária ampla e propõe, ainda, uma reorganização na Previdência Social, retirando do orçamento os gastos com os servidores públicos e a criação de um fundo de pensão separado. Segundo Velloso, a criação do Funpresp não é suficiente, porque é de longo prazo.

Apresentação - Elisabel Ferriche e Edson Junior