27/08/2018 10h37

Unicef convoca candidatos a colocarem a infância e a adolescência no centro da agenda eleitoral

Em documento entregue a presidenciáveis e a candidatos a governador, o Unicef apresenta as prioridades para a população infantil. Saiba os detalhes na entrevista do representante do Unicef Brasil, Mário Volpi

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) lançou um documento com prioridades para a população infantil. As propostas, com o objetivo de colocar a infância e a adolescência no centro da agenda eleitoral, foram encaminhadas aos candidatos à presidência da República e aos governos dos estados e do Distrito Federal.

O documento afirma que, nas últimas décadas, o Brasil promoveu políticas públicas para garantir o direito das crianças e adolescentes, mas que ainda é preciso avançar, uma vez que parcela significativa ainda sofre privações e continua à margem dessas conquistas.

Para detalhar essa agenda eleitoral, o Painel Eletrônico convidou o coordenador do Programa de Promoção de Políticas de Qualidade para a Infância do Unicef Brasil, Mário Volpi.

O primeiro ponto do documento diz respeito à pobreza. Segundo o Unicef, 61% das crianças e dos adolescentes brasileiros vivem na pobreza. A violência contra crianças e adolescentes também entrou na agenda de prioridade. Para esses dois pontos, o Unicef sugere políticas públicas que melhorem a educação e a investigação dos crimes para combater à impunidade.

Ainda segundo o documento do Unicef, é preciso combater a mortalidade infantil, que aumentou nos últimos dois anos; e a desnutrição, inclusive das crianças indígenas, que chegam a 30% dos casos. Dar uma alimentação saudável as crianças e adolescentes também é uma questão prioritária do Unicef.

Apresentação - Edson Júnior e Elisabel Ferriche