10/07/2018 10h37

Comissão de Educação debate sucateamento das universidades públicas no Brasil

Para falar sobre o assunto, o Painel Eletrônico convidou a deputada Margarida Salomão (PT-MG). Ouça o áudio completo da entrevista

O ajuste das contas públicas e teto orçamentário de gastos têm afetado em cheio as 63 universidades públicas federais do país.

Em debates realizados no Congresso Nacional, as instituições de ensino superior alegaram que os sucessivos cortes nas verbas para investimentos aliados ao aumento de gastos com pessoal e a ampliação do acesso dos estudantes são ingredientes que contribuíram para gerar a mais séria crise financeira já vivida pelo setor.

Esse cenário de endividamento das universidades públicas vai ser tema de audiência pública, nesta terça-feira, na Comissão de Educação da Câmara.

Uma das autoras para realização do debate e presidente da Frente Parlamentar Mista pela Valorização das Universidades Federais, a deputada Margarida Salomão (PT-MG), falou sobre o assunto em entrevista ao Painel Eletrônico.

A deputada defende que seja investido no setor mais do que propõe o Plano Nacional de Educação (PNE), e a aplicação de 75% dos recursos do pré-sal. Margarida Salomão concorda que cobrar dos alunos de famílias mais ricas ajudaria a criar mais vagas para os estudantes de famílias mais pobres, mas faz ressalvas a essa cobrança. Para a deputada, "gastar com educação, significa criar mais empregos, mais riqueza e garantir uma sociedade mais justa".

Ainda segundo a parlamentar, com os cortes no orçamento, há universidades fechando laboratórios; suspendendo projetos de pesquisa por falta de recursos, equipamentos e manutenção; e isso vai custar mais caro para o país, dificultando a recuperação da qualidade do ensino superior brasileiro.

Apresentação - Edson Júnior e Elisabel Ferriche