20/06/2018 11h24

Rogério Rosso (PSD-DF) promete questionar à Justiça caso CPI das Delações seja instalada - Bloco 2

Ele e o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) falaram sobre o tema em participação no Painel Eletrônico. Ouça a íntegra das entrevistas em dois blocos

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta, conseguiu as assinaturas necessárias para a criação de uma CPI voltada a investigar escritórios de advocacia envolvidos com as delações premiadas, no âmbito da Operação Lava Jato.

O requerimento foi apresentado em Plenário no último dia 30 de maio, com apoio de 190 parlamentares. Porém, mais de 40 deputados pediram a retirada de apoio à criação da comissão parlamentar de inquérito. Eles alegaram que a questão objeto da CPI – que, segundo a Constituição, tem que ser fato determinado – não está explícita no requerimento.

O documento traz como citados para depor o ex-advogado da empreiteira Odebrecht, Rodrigo Tacla Durán; e o especialista em delação, Figueiredo Basto.

Para falar sobre o tema, o Painel Eletrônico convidou os deputados Paulo Pimenta (PT-RS), a favor da CPI; e Rogério Rosso (PSD-DF), que é contrário à criação do colegiado investigativo nos termos apresentados.

Na entrevista, o deputado Paulo Pimenta desmentiu o argumento dos parlamentares que pediram a retirada de suas assinaturas. Segundo Pimenta, “é constrangedora a decisão dos deputados que alegam não ter lido o requerimento e esse argumento depõe contra eles perante a sociedade”. O deputado, no entanto, está confiante de que os parlamentares não voltarão atrás e que a CPI das Delações será instalada.

Já o deputado Rogério Rosso não acredita que o colegiado será instalado e garante que os parlamentares que desistiram de apoiar a CPI foram enganados na justificativa do requerimento, que continham os chamados "jabutis", ou seja, pontos estranhos àqueles apresentados no requerimento para instalação da CPI. Segundo Rosso, a CPI é uma manobra política para tentar atingir a Operação Lava Jato e o Poder judiciário. E, caso a comissão de inquérito seja instalada, ele promete questioná-la na Justiça.

Ouça a íntegra das entrevistas em dois blocos.

Apresentação - Edson Júnior e Elisabel Ferriche