11/06/2018 10h09

Depressão atinge 6% dos brasileiros e preocupa autoridades; Deputado Flavinho comenta o assunto

O parlamentar do PSC de São Paulo falou sobre o tema em entrevista ao Painel Eletrônico. Considerada o mal do século XXI pela OMS, a doença tem crescido entre os jovens e anda de mãos dadas com o suicídio

Depressão, o mal do século XXI segundo a Organização Mundial de Saúde. A doença já atinge cerca de 400 milhões de pessoas em todo o mundo. E, em 2030, de acordo com a OMS, a depressão será a enfermidade mais comum na população mundial. No Brasil, quase 6% dos brasileiros convivem com o distúrbio mental, o que faz do país o campeão de casos na América Latina.

Na última década, o número de casos cresceu 20% e lançou um sinal de alerta para que os países tomem medidas urgentes para enfrentar o problema.

Na Câmara, o tema tem sido foco dos debates em comissões e no Plenário da Casa. O deputado Flavinho (PSC-SP), que tem acompanhando esse cenário de depressão no país, em especial entre os jovens, falou sobre o assunto em entrevista ao Painel Eletrônico.

Segundo o parlamentar, a depressão é uma doença grave, que precisa ser tratada e que não tem tido a atenção necessária do poder público, com políticas de qualidade. A doença tem afetado em cheio a economia brasileira, e deverá ser o maior motivo de afastamento do trabalho no mundo até 2020. A queda da produtividade e doenças vinculadas à depressão têm um alto custo global, calculado em 1 trilhão de dólares por ano. No Brasil, já são mais de 11 milhões de pessoas com algum transtorno depressivo, o que gera um prejuízo de mais de R$ 200 bilhões por ano.

Para o deputado Flavinho, o país não está despreparado para enfrentar o problema e não faltam recursos para o tratamento da doença, mas falta vontade política e uma visão mais humana na administração pública. Ouça o áudio completo da entrevista.

Apresentação - Edson Júnior e Elisabel Ferriche