08/05/2018 11h17

Conferência Legislativa sobre Liberdade de Expressão discute combate às notícias falsas

Confira a entrevista da presidente do Instituto Palavra Aberta – que está à frente do evento –, Patrícia Blanco

Com o avanço tecnológico e em tempos digitais, as notícias falsas, chamadas fake news, se espalham 70% mais rapidamente que as verdadeiras e alcançam muito mais gente.

Essa foi a conclusão de um estudo sobre as notícias falsas na internet realizado por cientistas do renomado Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos.

A velocidade da disseminação de fake news e as consequências do compartilhamento desses conteúdos falsos tem chamado atenção do mundo e trouxe o tema para o centro do debate na Câmara dos Deputados, que sedia, nesta terça-feira, a 12ª Conferência Legislativa sobre Liberdade de Expressão. O encontro vai debater a importância da educação midiática na formação da cidadania e no combate às notícias falsas.

Para falar sobre o assunto, esteve no estúdio do Painel Eletrônico a presidente do Instituto Palavra Aberta, que está à frente do evento, Patrícia Blanco.

Na entrevista, Patrícia Blanco explicou que, segundo o estudo do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, o principal motivo que move uma pessoa a compartilhar uma fake news, mesmo sabendo que pode ter sérias consequências, é o sensacionalismo das notícias falsas.

Patrícia Blanco também deu dicas para evitar as fake news: ser cético, consultar outras fontes e o endereço de quem envia. E, para combater as notícias falsas, a presidente do Instituto Palavra Aberta sugeriu a inclusão da educação midiática nos currículos e disciplinas escolares que, segundo ela, funciona mais do que leis restritivas e punição.

Apresentação - Edson Júnior e Elisabel Ferriche