16/03/2016 - 18h31

Custo da ferrovia Nova Transnordestina sofrerá aumento, diz presidente da Valec

Luis Macedo - Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre atuação e responsabilidade da Valec Engenharia Construções e Ferrovias S.A, acionista da Transnordestina Logística S.A (TLSA) - Concessionária que conduz a obra da Ferrovia Nova Transnordestina. Diretor-presidente da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A, Mario Rodrigues Júnior
Rodrigues: 56% da obra já estão concluídos, mas o custo da construção de 1 km de ferrovia está orçado em R$ 6 milhões, o que elevaria o custo do projeto para cerca de R$ 10,5 bilhões.

O orçamento da construção da ferrovia Nova Transnordestina deve sofrer aumento de quase 50% devido à inflação do real, é o que diz o presidente da Valec Engenharia Construções e Ferrovias S.A, Mário Rodrigues Júnior. O orçamento inicial da ferrovia estava previsto em R$ 7,5 bilhões em 2013, e, segundo o presidente, poderá chegar a R$ 11 bilhões, na nova cotação do real, devido a acréscimos na obra.

A Nova Transnordestina é uma obra ferroviária que liga o Porto de Pecém, no Ceará, ao Porto de Suape, em Pernambuco, além do cerrado do Piauí, no município de Eliseu Martins, num total de 1.753 km.

A Valec Engenharia é acionista da concessionária Transnordestina Logística S.A (TLSA). De acordo com a Lei 11.772/08, compete à Valec coordenar e executar a construção da ferrovia.

Segundo Mário Rodrigues, 56% da obra já estão concluídos, porém, já foram aplicados 80% do capital inicial. Ele afirmou que o custo para a construção de 1 km de ferrovia está orçado em R$ 6 milhões, o que elevaria o custo do projeto para aproximadamente R$ 10,5 bilhões.

O assessor especialista da Superintendência de Desenvolvimento Operacional da Valec, Iltamar de Oliveira Mendonça, afirmou ser necessário um novo aporte para quitar o reajuste, que com acréscimo pode chegar até R$ 11 bilhões. Ele afirmou que, devido a parcerias e acordos feitos pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), o aporte inicial da Valec que era de R$ 230 milhões, subiu para R$ 980 milhões.

Luis Macedo - Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre atuação e responsabilidade da Valec Engenharia Construções e Ferrovias S.A, acionista da Transnordestina Logística S.A (TLSA) - Concessionária que conduz a obra da Ferrovia Nova Transnordestina. Em destaque, dep. Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE)
Raimundo Gomes de Matos: a previsão é que, depois de concluída, a ferrovia possa transportar 30 milhões de toneladas por ano.

Desigualdade regional
Na opinião do deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB–CE), que presidiu a audiência pública da Comissão Externa da Construção da Ferrovia Nova Transnordestina, nesta quarta-feira (16), a ferrovia diminuirá a desigualdade regional nordestina.

O projeto intenciona elevar a competitividade da produção agrícola e mineral da região, unindo a ferrovia a portos que podem receber navios de grande porte. A previsão é que, depois de concluída, a ferrovia possa transportar 30 milhões de toneladas por ano. As obras foram iniciadas em janeiro de 2010.

Requerimentos aprovados
Após a audiência, os parlamentares aprovaram dois requerimentos do deputado Raimundo Gomes de Matos. Um deles pede audiência pública com o diretor de Infraestrutura Ferroviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Mário Dirani. O outro prevê a realização de reuniões técnicas com parlamentares das Assembleias Legislativas dos três estados beneficiados com a obra para discutir ações que viabilizem a conclusão da ferrovia no mais curto prazo.

Reportagem – João Vitor Silva/ RCA

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'