12/07/2019 - 22h26

Líderes cobram novas reformas e agenda pós-Previdência

O Plenário da Câmara dos Deputados concluiu nesta sexta-feira (12) a votação em 1º turno da reforma da Previdência. A análise em 2º turno terá início no dia 6 de agosto

Após uma semana intensa de articulações e votações, líderes comemoraram a aprovação, pelo Plenário da Câmara dos Deputados, da reforma da Previdência (PEC 6/19) em primeiro turno. A oposição disse que vai continuar na luta para alterar pontos da proposta no segundo turno.

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Votação do texto-base da PEC 6/2019 - Reforma da Previdência. Dep. Major Vitor Hugo (PSL-GO)
Major Vitor Hugo: "Presentearemos o Brasil com uma Previdência mais justa"

Ao final da votação desta sexta-feira (12), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, agradeceu os deputados pelo “comprometimento com a democracia”.

Líder do governo, o deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO) celebrou a aprovação em primeiro turno. “Vamos presentear o Brasil com uma Previdência mais justa e sustentável”, sustentou.

Agenda positiva
Muitos parlamentares pediram que a mudança na Previdência seja seguida por alterações nos impostos, além de outros projetos de uma agenda positiva.

Para o deputado Giovani Cherini (PL-RS), ainda não há muito motivo para celebração. “A festa tem que ser na retomada do emprego e no crescimento econômico”, afirmou, destacando a necessidade de uma reforma tributária.

O líder do Podemos, José Nelto (GO), disse que vai reivindicar novas ações do ministro da Economia, Paulo Guedes. “Vou cobrá-lo para apresentar uma agente positiva para a Nação, abrindo o capital e gerando riqueza e renda”, comentou.

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Sessão para continuação da votação da PEC 6/2019 - Reforma da Previdência. Dep. José Nelto (PODE - GO)
José Nelto: "Vamos cobrar uma agenda de abertura do capital e de geração de renda"

Ele ressaltou os acordos feitos para beneficiar categorias e retirar da reforma da Previdência trechos relacionados aos trabalhadores rurais e ao Benefício de Prestação Continuada. “Mostramos para o Brasil que podemos apresentar a melhor reforma.”

Para o relator da proposta, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), o texto é apenas um alicerce para as ações do governo. “Temos ainda uma caminhada, a votação em segundo turno, mas, a partir dali, é com o governo, que terá de entregar suas promessas”, declarou.

Oposição
A líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), enalteceu a atuação da oposição, que fez destaques e marcou posição. Reiterou ainda que não desistiu de alterar pontos da reforma.

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Reunião Ordinária para discussão e votação do parecer do relator, dep. Samuel Moreira (PSDB/SP). Dep. Alessandro Molon (PSB - RJ)
Molon: "Oposição sai mais forte da votação da reforma da Previdência"

“Não desistiremos de garantir a pensão mínima de um salário mínimo para as mulheres. Essa batalha não está resolvida”, apontou.

A deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS) lamentou a votação de uma reforma que chamou de “antipovo”. “Mas temos fé na luta e na resistência”, ponderou.

Por sua vez, o líder da oposição, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), comemorou a união de partidos contrários ao governo Bolsonaro. “Os deputados da oposição saem desse processo maiores do que entraram”, ao ressaltar que parlamentares cobraram uma reforma que não afetasse os mais pobres.

Molon disse ainda que oposição teve vitórias nas conquistas para professores e para homens da ativa.

> Entenda a tramitação da reforma da Previdência

Íntegra da proposta:

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

A câmara não tem projeto e não tem preocupação com os mais pobres | 16/07/2019 - 13h22
Mais uma MP cai...876/19, a segunda | A lei de licitações não foi votada! | O pacote anti crime foi postergado | o PLS 174/2011 e PL 7585/2014 também sem sucesso e o saneamento/saúde do brasil na fossa.
daniEL | 15/07/2019 - 13h32
Qto ao dep Molon, o q se conseguiu foi apenas para uma classe, ou seja, continua sendo regalias! Ou é pra todo mundo, ou é pra ninguém! Pq professores merecem mais do q tantas outras profissões tb muito estressantes, q lidam com o povo, q cuidam da saúde (física, mental ou espiritual), ou q colocam suas vidas em risco em benefício do povo e de estranhos? Então, reveja seu pensamento e priorize o BR e o povo, não uma ou outra classe, por favor!
daniEL | 15/07/2019 - 13h28
Qto à dep Fernanda Melchionna, se essa RefPrevid é anti-povo, pq ela e o partido dela não fizeram uma reforma + justa durante todo o tempo em q estiveram no Governo? E, + ainda: onde ela estava qdo a roubalheira e desvios aconteciam e as tantas regalias e super-salários e super-aposentadorias eram pagos, q nos trouxeram a esta situação? Fácil critiar agora o q se tem q fazer por conta dos desmandos da ESQ, q finge se procupar com o povo, mas já deixaram muito claro que só pensam nos próprios umbigos! Se a ESQ acha q isto foi ruim, kd projeto bom? Kd q apresenta alternativas reais? HIPÓCRITAS!