12/07/2019 - 21h57

Rodrigo Maia: reforma da Previdência será votada em 2º turno a partir de 6 de agosto

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, anunciou o início da votação do segundo turno da reforma da Previdência para o dia 6 de agosto, assim que recomeçar o semestre legislativo. A previsão, segundo o presidente, é concluir esta etapa no dia 8.

Maia afirmou que o adiamento da votação para o segundo semestre não representa uma derrota. Segundo ele, o mais importante foi terminar o primeiro turno da proposta neste semestre e isso foi cumprido.

“Ninguém é sozinho o dono da pauta da Câmara. É uma construção suprapartidária, e foi o que se construiu: se eu tivesse anunciado a votação do segundo turno na próxima semana, a oposição teria feito uma obstrução e a gente não teria votado os destaques”, explicou o presidente.

Apoio da sociedade
Rodrigo Maia não acredita que o adiamento possa fazer com que parlamentares mudem de ideia e votem contra a reforma no segundo turno. Segundo ele, o fato de o texto principal ter apoio de 74% da Casa demonstra que a sociedade influenciou o resultado.

“Alguns podem mudar de ideia a favor da reforma. Nenhuma reforma tem esse resultado sem o apoio da sociedade, é um tema muito polêmico”, disse.

“A gente não pode achar que é dono do Parlamento. Quando acha que é dono do Parlamento e pode ter as nossas vitórias sozinhas, deixamos de ser democratas e passamos a ser autoritários”, finalizou o presidente.

> Entenda a tramitação da reforma da Previdência

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Carlos Augusto Pestana Cantanhede Filho | 16/07/2019 - 10h30
Mais uma vez o congresso empurra para os mais pobres a conta,não bastasse que nós contribuintes já estamos pagando pedágio(40%)sobre o tempo que faltava em 12\98.É um descaso com a população que banca belos salários dos congressistas,além de gordas aposentadorias(isso sim quebra o Brasil).Infelizmente, pagaremos mais uma vez pelo atraso da política partidária reinante em nosso congresso.Lembrem-se que vossos salários são pagos pelos contribuintes pobres do Brasil,que após a reforma da previdência ficarão ainda mais pobres.
daniEL | 15/07/2019 - 13h16
(cont.2) pra ir brincar d FORMAÇÃO DE QUADRILHA, como se já não fizessem isso ao longo do ano dentro da Câmara! A votação da RefPrevid só foi tão expressiva não pq os deps se conscientizaram da importância d corrigir o ROMBO q ELES mesmo CRIARAM, mas pq o Exec liberou emendas... VERGONHOSO!!! Agora, parabéns aos deps d ESQ q votaram pelo País, ainda q contrariando o próprio partido! Tem dep d ESQ se esforçando pelo BR, graças a Deus!!!
daniEL | 15/07/2019 - 13h12
RodriMaia diz: ninguém trabalha sozinho, é uma construção suprapartidária. Se tivesse marcado 2o turno, a oposição blá, blá, blá... Concordo, em parte! Qdo se quer, derrubam-se todas as obstruções rapidamente. Agora, qdo se coloca esse tempo todo, além d quebrar o ritmo conseguido (e q deveria ser mantido até o fim) ainda ATRASA o empenho da Câmara em tudo o + q estava andando. Antecipar em UMA SEMANA o recesso? Sério mesmo? Os deps acham, pensam, q são patrões, mas não são, são nossos empregados, custam caríssimo, produzem pouquíssimo e ainda se acham no direito d virar as costas ao BR (cont)