04/07/2019 - 16h20 Atualizado em 05/07/2019 - 02h30

Aprovação da reforma da Previdência em comissão mostra que governo dialoga, diz ministro

A expectativa, segundo Onyx Lorenzoni, é aprovar pelo menos a proposta em primeiro turno no Plenário já na próxima semana

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, comemorou a aprovação da reforma da Previdência (PEC 6/19) na comissão especial. Para ele, o governo dialogou com todos os parlamentares e disse que foi fechado um acordo de que todos iriam contribuir com a reforma e não haveria exceção para nenhuma categoria.

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Reunião ordinária para votação do parecer do relator, dep. Samuel Moreira (PSDB-SP). Ministro Chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni
Onyx Lorenzoni: não foi fechado acordo sobre aposentadoria de policiais e bombeiros

A expectativa, segundo ele, é aprovar, pelo menos, a proposta em primeiro turno no Plenário já na próxima semana.

“A previdência prepara o Brasil para ao futuro. Essa potência fiscal, que esperamos confirmar no Plenário, vai mostrar que o Brasil tem solvência fiscal, e está resolvido o seu problema fiscal pela próxima década e talvez pelas próximas duas décadas”, declarou Lorenzoni.

Em relação à demanda dos policiais militares e bombeiros, de terem as mesmas regras de aposentadoria que os militares das Forças Armadas, o ministro afirmou que essa discussão vai ser feita conjuntamente com o projeto que trata da aposentadoria das Forças Armadas.

No que se refere à idade de aposentadoria dos policiais federais, Lorenzoni afirmou que cabe aos deputados debaterem a proposta, mas admitiu que as regras podem não ser alteradas e, portanto, a categoria vai poder se aposentar aos 55 anos. O acordo que estava sendo construído, de aposentadoria aos 52 anos para mulheres e 53 para homens, não foi fechado.

“Todas as categorias estão dando a sua contribuição, as mudanças são respeitosas para todas as categorias”, disse o ministro.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier
Edição – Ana Chalub

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Lu | 09/07/2019 - 15h04
A REFORMA DA PREVIDÊNCIA TEM SIDO IMPOSTA DE FORMA CORRIDA,SEM DIÁLOGO NECESSÁRIO,SEM TEMPO P LEITURAS,JOGADA NA CALADA DA NOITE,CORTANDO TODAS AS EMENDAS,INDEFERINDO DESTAQUES, REJEITANDO TODOS OS REQUERIMENTOS.PQ A OS BANQUEIROS,O MERCADO E A MÍDIA INVESTIDORA EXIGEM? ESTÃO FAZENDO A TRAMITAÇÃO C TOTAL DESRESPEITO C OS Q SÃO CONTRA E C O POVO.ZOMBAM DO POVO Q VAI RALAR 40 ANOS OU SEM SALÁRIO INTEGRAL.C HIPOCRISIA FALAM DO POVO FAZER SACRIFÍCIO,MAS OS DEPUTADOS Q DEFENDEM A REFORMA IRÃO MANTER OS PRÓPRIOS PRIVILÉGIOS C APOSENTADORIA ESPECIAL.OS PRIVILÉGIOS SERÃO MANTIDOS.PEC CRIMINOSA.
daniEL | 09/07/2019 - 09h22
Se o RodriMaia quisesse, não levaria DOIS DIAS. Bastariam DUAS HORAS! Mas, o q dizer d alguém q quer pra si e pra Câmara o mérito da aprovação dessa reforma, mas continua sendo TOTALMENTE COVARDE ao jogar o problema d 26 ESTADOS + DF para um futuro incerto, demorado, só porque os milionários covardes da Câmara, paquiderme caríssimo e improdutivo (se fosse uma fazenda a ESQ+AFUNDÃO a invadiriam alegando área improdutiva), não tem coragem pra fazer corretamente O Q PRECISA SER FEITO! Se o RodriMaia é incompetente pra gerir a Câmara sendo presid dela, imagina se fosse presid do Exec.. Tsc,tsc,tsc
Se o presidente da Câmara quiser mesmo | 08/07/2019 - 10h25
A reforma da Previdência será votada e aprovada em dois turnos no dia 18. Rodrigo Maia aprovou a PEC do Orçamento Impositivo em duas horas.