08/05/2019 - 16h44

Relator defende reforma da Previdência; oposição questiona impactos econômicos da proposta

O deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), relator na comissão especial da reforma da Previdência (PEC 6/19), afirmou que os parlamentares têm uma oportunidade de fazer “um trabalho para valer”, que pode representar um cuidado com o futuro das próximas gerações. Ele manifestou preocupação com os impactos das aposentadorias e pensões nas contas da União. Segundo o governo, os gastos com Previdência e assistência social deverão representar 64,8% do Orçamento deste ano, o equivalente a R$ 903 bilhões.

Já a líder da Minoria na Câmara, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), criticou a proposta do governo Bolsonaro e a vinculação de uma eventual aprovação da reforma com a retomada da economia. “É uma mentira atrás da outra”, afirmou. “Por que não dizem que a reforma é para privatizar a Previdência Social?”, questionou.

Como opções para estimular o crescimento, Jandira Feghali defendeu a discussão de outros temas, como reforma tributária e revisão do pacto federativo.

As declarações foram feitas em audiência pública da comissão especial da reforma da Previdência, que ouve o ministro da Economia, Paulo Guedes. Também na reunião, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, fez uma apresentação com os dados gerais da reforma.

Veja os principais pontos da reforma da Previdência

A comissão especial está reunida no plenário 1.

Mais informações a seguir