24/04/2019 - 00h30

Maia quer instalar comissão especial da reforma da Previdência já na quinta-feira

Presidente da Câmara ressaltou, no entanto, que data depende de articulação com líderes partidários

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Reunião ordinária. Presidente da câmara dep. Rodrigo Maia (DEM-RJ)
Maia deve se reunir com líderes nesta quarta-feira para pedir indicação de integrantes da comissão especial

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que acompanhou a votação da reforma da Previdência (PEC 6/19) na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), disse após a aprovação da medida que vai tentar instalar a comissão especial que analisará o mérito da proposta já nesta quinta-feira (25).

“Nós dependemos dos líderes, mas, assim que tivermos uma maioria de deputados indicados para compor a comissão especial, eu vou pedir a instalação, para que a gente comece a trabalhar”, afirmou.

Maia deve se reunir nesta quarta-feira (24) com os líderes de partidos que apoiaram a proposta na CCJ para pedir a indicação de membros da comissão especial. O presidente admitiu, no entanto, que essa negociação pode atrasar o início do funcionamento do colegiado. “Se conseguirmos instalar até terça-feira (30), será uma vitória”, comentou.

O presidente acrescentou que acompanhou a votação na CCJ como deputado do DEM, e que todos que apoiam a reforma devem se esforçar, especialmente o Planalto. “Temos 60 dias para organizar a votação na comissão especial, e depois no Plenário. O governo precisa trabalhar de forma efetiva a sua base, a sua maioria”, declarou.

Reportagem - Marcello Larcher
Edição - Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

CONSTITUIÇÃO FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 | 24/04/2019 - 09h09
Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária; III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;. "Quando a desigualdade ultrapassa o limite aceitável entre as classes sociais o país trava, é o que estamos vivendo hoje, a minoria com tudo e a maioria sem nada. Precisamos de uma lei que garanta que a desigualdade social permaneça dentro de um limite aceitável."